Tudo o que você precisa saber sobre a candidíase

Saúde e Bem-Estar -

Para começar a falar sobre candidíase é importante dizer que a doença afeta a parte íntima da mulher, mas também pode ocorrer no homem e em outras partes do corpo, como boca, unhas, dobras, intestino e esôfago, podendo apresentar diferentes sintomas de acordo com o local onde se manifesta. Segundo a Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp), a candidíase afeta 75% das mulheres.

A doença ocorre quando o fungo Candida albicans se prolifera. Todas as mulheres apresentam certa quantidade deste fungo no organismo, mas alguns fatores podem contribuir para que ele se multiplique em excesso e para que a doença se desenvolva. Mulheres portadoras de diabetes, uso excessivo de antibióticos e corticoides, falta de higiene e permanecer com roupa íntima úmida por muito tempo são fatores que influenciam diretamente na proliferação deste fungo.

mulher, relaxada, sentada no sofá com as mãos na nuca

Sintomas

Embora os sintomas da candidíase sejam diferentes de acordo com o local infectado, na região íntima da mulher os mais conhecidos são:

  • Coceira, ardência e sensação de queimação;
  • Fissuras e vermelhidão na vulva;
  • Corrimento esbranquiçado, com aspecto de leite talhado, e sem odor;
  • Desconforto durante a relação sexual.

Prevenção

Para prevenir a candidíase, é importante ter cuidado com a saúde de modo geral: o consumo de frutas, legumes e verduras pode ajudar a equilibrar a flora vaginal e fortalecer o sistema imunológico. A ingestão de doces e alimentos industrializados, por outro lado, está associada aos fatores de risco para desenvolver a candidíase.

O cuidado com a região intima também é fundamental para evitar a doença. A higiene deve ser feita pelo menos uma vez ao dia, com água e sabonete neutro ou íntimo, e é recomendável utilizar calcinhas de algodão. Para deixar a região respirar, os especialistas também recomendam evitar o uso de calças muito apertadas e dormir sem roupa íntima. Evitar usar roupas molhadas de piscina ou praia também pode prevenir o surgimento dos sintomas.

Fatores de risco

Toda mulher tem uma quantidade saudável de bactérias na flora vaginal, mas quando há algum desequilíbrio, os micro-organismos se proliferam de forma desordenada, o que causa doenças como candidíase e vaginose bacteriana. Os principais fatores de risco para o surgimento dos sintomas são:

  • Imunidade baixa;
  • Estresse extremo;
  • Higiene inadequada;
  • Doenças crônicas, como diabetes e hipertensão;
  • Uso de medicamentos antibióticos e corticoides;
  • Região íntima muito abafada por roupas apertadas;
  • Usar roupa íntima molhada por muito tempo.

Tratamento

A candidíase tem cura e o tratamento é feito com pomadas ou medicamentos antifúngicos indicados por um especialista. Banhos de assento com bicarbonato de sódio também podem ajudar a balancear o pH vaginal.

Segundo o Ministério da Saúde, os homens não precisam tratar a candidíase se for assintomática, mas pode acontecer de o profissional de saúde indicar um tratamento para evitar que a infecção fique “incubada”.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde