Relação desprotegida pode ocasionar a gonorreia

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 78 milhões de pessoas são infectadas com gonorreia por ano, e esse número só tem aumentado. Uma das explicações, de acordo com um alerta divulgado em 2017 pela mesma organização, é porque a bactéria tem se tornado mais resistente a antibióticos, principalmente os mais antigos e populares. 

Gonorreia é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), proveniente da bactéria Neisseria gonorrhoeae, que afeta homens e mulheres de qualquer idade através do contato sexual vaginal, anal ou oral sem o uso de preservativos. Os sintomas podem aparecer em 24h ou cinco dias após a relação sexual desprotegida. 

A doença também pode ser transmitida na gravidez, da mãe para filho, podendo ocasionar sérias complicações na visão da criança, inclusive levando à cegueira. Neste caso, os sintomas começam a aparecer depois de alguns dias após o parto e, logo que identificado, o bebê é incubado para passar pelo tratamento adequado. 

Sintomas da gonorreia

De maneira geral, a doença apresenta diferentes sintomas em homens e mulheres, mas alguns casos podem surgir os mesmos, tais como coceira, pus e sangramento na região anal, dores de garganta e aparência de inflamação na região, secreção de pus nos olhos e sensibilidade à luz.

Quando uma mulher é infectada pela gonorreia, além dos sintomas mencionados acima, outros que podem surgir são: corrimentos vaginais (com cheiro forte e cor amarelada), sangramento fora do período menstrual, dor e ardência para urinar, dor pélvica e dores abdominais. Já nos homens, outros sintomas que podem surgir são dores e inchaço em um dos testículos, ardência para urinar e secreção de pus pela uretra.

Diagnóstico da gonorreia

Após alguns exames, o diagnóstico da doença pode ser dado pelo clínico geral, infectologista, ginecologista ou urologista. São eles:

Coloração de Gram - análise de secreção no microscópio; e

Exames de cultura (PCR e NAAT) – análise de secreção em um processo mais específico de cultivo e identificação da bactéria em laboratório. 

Os exames de cultura são mais recomendados porque as análises são mais sensíveis e específicas do que a Coloração de Gram. 

Fatores de risco da gonorreia

Dentre os principais motivos que contribuem para uma pessoa ser acometida pela gonorreia estão: 

Não utilizar preservativo;

Ter relações sexuais com muitos parceiros (sem os devidos cuidados); e

Ter relação sexual com parceiro já infectado (sem os devidos cuidados).

Tratamento contra a gonorreia

A gonorreia é uma doença bacteriana que tem cura diante do uso de antibióticos (orais ou injetáveis) indicados por especialistas. Após cerca de três ou quatro dias, a bactéria é eliminada do corpo do indivíduo. 

Tome nota: apenas um especialista poderá realizar o diagnóstico e prescrever o tratamento mais eficaz. 


Referências

A resistência da gonorreia a antibióticos está em ascensão e são necessários novos medicamentos - acessado em 27/11/2018

O que é gonorreia? - acessado em 27/11/2018

O que é gonorreia (masculina, feminina): sintomas, tratamento e mais - acessado em 27/11/2018

Gonorreia - Sociedade Brasileira de Infectologia - acessado em 27/11/2018

 

 

 


Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica