Novembro azul e o cuidado com a saúde masculina: o que fazer para prevenir?

Saúde e Bem-Estar -

Segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, o câncer de próstata atinge majoritariamente a população masculina acima dos 65 anos, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O segredo para um tratamento eficaz está na prevenção: quanto mais cedo o diagnóstico for realizado, maiores as chances de cura, além de tornar possíveis tratamentos menos invasivos.

Neste mês, o Novembro Azul chama a atenção à conscientização da população masculina, com o objetivo de informar a importância dos exames para diagnóstico de possíveis doenças que afetam os homens, sobretudo o câncer de próstata.

O Novembro Azul foi lançado no Brasil em 2008 pelo Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL). O principal objetivo do movimento brasileiro é conscientizar a população acerca do câncer de próstata, incentivando o acompanhamento médico para a detecção precoce da doença.

Atualmente, iniciativas em apoio à campanha do Novembro Azul são adotadas por várias ONGs, empresas privadas e pelo setor público, se tornando uma ação de domínio público.

Homem de camiseta azul escuro com laço azul claro preso ao peito

Sintomas

Os principais sintomas são dificuldade de urinar ou necessidade de urinar com frequência maior do que a normal, sangue na urina e diminuição no jato urinário. Em casos mais avançados, o câncer de próstata pode causar dor óssea, insuficiência renal e até infecção generalizada.

Uma das possíveis complicações do câncer de próstata é que ele pode crescer e se desenvolver de forma silenciosa, especialmente em sua fase inicial. Por isso, é fundamental a realização dos exames periódicos a partir dos 40 anos de idade.

Diagnóstico

Os principais exames determinam o diagnóstico precoce do tumor são o exame de toque retal e o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Em caso de uma suspeita permanente do especialista, podem ser indicados realizados exames mais complexos, como tomografia e ressonância magnética, além da cintilografia óssea.

Graças ao exame de toque real, o médico é capaz de apalpar a próstata e identificar a presença de irregularidades, como nódulos ou tecidos endurecidos. A identificação destes pode levar ao diagnóstico da doença em estágio inicial. A conclusão sobre um diagnóstico de câncer de próstata se dá por meio de uma biópsia, procedimento em que é coletada uma amostra do tecido prostático para avaliação em laboratório.

Tratamento

O câncer de próstata é dividido em estágios de 1 a 4, que servem para determinar o tratamento indicado. No caso de estar em um estágio inicial, é possível empregar medidas mais localizadas, como cirurgia ou radioterapia. Já em casos diagnosticados em fases mais avançadas, serão necessários tratamentos mais amplos, como hormonioterapia, quimioterapia e medicamentos radiofármacos.

Como todo organismo é único, determinar o estágio é apenas uma indicação do seu grau. Logo, o método de tratamento será determinado por exames específicos, caso a caso.

Fatores de risco

O principal fator de risco é a hereditariedade: um caso conhecido na família de câncer de próstata deve ser sempre informado ao médico e, nesses casos, é importante prestar atenção especial, com acompanhamento anual com um médico especialista.

Outro fator é a idade. O câncer de próstata é mais comum em pacientes mais velhos e, desde os 50 anos de idade, as chances de desenvolvimento da doença aumentam. De acordo com o INCA, 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

Tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas (etilismo), obesidade e dieta rica em gorduras também podem levar a um aumento da predisposição de desenvolvimento da doença.

Prevenção

Praticar exercícios físicos regulares e adotar uma dieta rica em fibras e que evite gorduras ajudam na prevenção do tumor. Da mesma forma, o consumo excessivo de álcool e cigarros também deve ser evitado. Como é de se imaginar, essas atitudes ajudam na manutenção da saúde além do câncer de próstata: são hábitos de uma vida saudável.

Para saber mais, veja o vídeo Conversa com Especialista do Grupo NotreDame Intermédica, que entrevistou o oncologista Dr. Emerson Neves dos Santos:

Referências

Fonte:
Portal Drauzio Varella
Tua Saúde

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde