Entenda a diferença entre telemedicina e telessaúde

Saúde e Bem-Estar -

Nunca se falou tanto em serviços de saúde a distância como na pandemia do novo Coronavírus. Isto acontece principalmente pela importância de evitar ambientes como hospitais e clínicas – tanto pelo maior risco de transmissão do vírus quanto para não sobrecarregar os sistemas de saúde.

Enquanto durar a quarentena, médicos podem realizar consultas a distância para dar continuidade a tratamentos e diagnosticar pacientes sem que eles precisem se expor à Covid-19. E essa ação é apenas um dos pilares da telessaúde: confira como esse serviço engloba todos os setores de saúde com o auxílio da tecnologia.

Mesa com materiais para estudo de medicina

Telessaúde

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a telessaúde é “o uso de tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) para prestar serviços de saúde a distância”. Isto quer dizer que a telessaúde é tudo aquilo que usa a internet para oferecer assistência, educação, diagnósticos e pesquisas de saúde de forma remota: por exemplo, transmitir uma cirurgia para quem está do outro lado do mundo, cursos a distância, congressos por chamada de vídeo, rotinas administrativas na área da saúde e, claro, consultas e diagnósticos. 

Telemedicina

A telemedicina é o pilar da telessaúde que engloba diagnósticos e tratamentos de pacientes mediados pela internet. Ela serve para traçar uma comunicação com o paciente – por meio de consultas ou esclarecimento de dúvidas a distância – e também para facilitar a troca de informações entre profissionais da saúde. É uma forma de otimizar o atendimento médico – afinal, o paciente não precisa se deslocar para tirar uma dúvida com o especialista ou receber orientações simples: basta enviar uma mensagem ou fazer ligações.

E-saúde

Saúde digital ou e-saúde é um recurso da telessaúde que unifica em uma plataforma todas as informações sobre a saúde dos pacientes. O objeto é agilizar os processos e facilitar a tomada de decisão médica por meio do acesso a dados como medicamentos, consultas e exames – tudo com o auxílio da tecnologia.

Como funciona?

A telemedicina pode funcionar de várias formas:

Consultas a distância

Geralmente por meio de chamada de vídeo, as consultas a distância podem ser feitas para investigar os sintomas do paciente. Nas consultas, o especialista pode tirar dúvidas, dar continuidade a tratamentos, fazer diagnóstico de doenças, pedidos e interpretações de exames e muito mais.

Diagnóstico a distância

A telemedicina permite que laudos sejam elaborados a distância. Por exemplo, um exame feito em São Paulo pode ser interpretado por um médico do Rio de Janeiro, em tempo real.

Troca de informações entre especialistas

Especialistas do mundo inteiro podem se conectar para trocar informações sobre o tratamento para um caso complexo ou pesquisas na área da saúde – como acontece com a vacina desenvolvida para combater o novo Coronavírus.

Internet das Coisas

Com os avanços da tecnologia, equipamentos podem ajudar a monitorar o paciente a distância ao enviar dados sobre batimentos cardíacos, pressão arterial entre outras informações para o computador do médico.

Cirurgia a distância

Outra funcionalidade da telemedicina, ainda não tão comum, é a cirurgia: um médico pode manusear um equipamento robótico a quilômetros de distância. Neste caso, é necessário outro profissional ao lado do paciente, serviços de internet excelentes e equipamentos de segurança da informação.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com informações da Revista Saúde, Mais Laudo, Telemedicina Morsch – acesso em 08/07/2020.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde