Conhecer o histórico familiar de saúde pode ajudar a prevenir doenças

 
Você tem um parente próximo, especialmente de primeiro grau, com alguma doença, como câncer, diabetes e problemas cardíacos? Isto significa que você tem um risco maior de desenvolvê-las. Conhecer o histórico familiar de saúde é muito importante para prevenir doenças ou diagnosticá-las precocemente, o que faz com que os tratamentos sejam mais eficazes. Então, saiba mais sobre a importância do histórico familiar e como conseguir essas informações.
 
Qual é a importância de conhecer o histórico familiar?
 
Um histórico médico familiar é um registro de informações de saúde de uma pessoa e dos parentes próximos dela. Ter parentes com algum problema de saúde não significa que você desenvolverá essa condição, mas as chances aumentam. Isso porque as famílias têm muitos fatores em comum, incluindo os genes e, muitas vezes, o ambiente e o estilo de vida.
 
Então, conhecendo o histórico familiar, você pode procurar um médico para que ele tome algumas medidas que ajudem a diminuir o risco e até prevenir possíveis problemas de saúde. Neste sentido, o médico pode recomendar:
 
Exames de rastreamentos mais frequentes - como mamografia ou colonoscopia, a partir de uma idade mais precoce para pessoas com maior risco de certos tipos de câncer;
 
Exames ou testes regulares - para pessoas que tenham familiares próximos com alguma condição médica, como diabetes e problemas cardíacos;
 
Mudanças de estilo de vida - como a adoção de uma alimentação mais saudável, a prática de exercício físico e a interrupção do tabagismo.
 
Quais as principais doenças que têm o histórico familiar como fator de risco?
  •  
  • Câncer;
  • Diabetes;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Alzheimer;
  • Asma;
  • Colesterol alto;
  • Pressão alta;
  • Distúrbios psiquiátricos;
  • Doenças raras, como fibrose cística, hemofilia e distrofias musculares.
 
Como descobrir o histórico familiar de problemas de saúde?
 
Com quais parentes falar – os familiares mais importantes são os pais, irmãos e filhos. Em seguida, você pode conversar com avós, tios sobrinhas e meio-irmãos. Pode não ser fácil, pois é possível que alguns relutem em falar sobre doenças. Mas, é importante começar a conversa e explicar o motivo de você querer saber.
 
Faça perguntas – pergunte sobre doenças crônicas e problemas de saúde. As perguntas podem ser as seguintes:
  • Você tem algum problema de saúde, como doença cardíaca, diabetes, pressão alta, colesterol alto ou qualquer outra condição?
  • Você teve alguma doença grave, como câncer ou acidente vascular cerebral (AVC)?
  • Quantos anos você tinha quando cada uma dessas doenças e cada um desses problemas de saúde foi diagnosticado?
 
Registre a informação – é importante anotar tudo que souber sobre o histórico familiar. Não tente guardar tudo na memória. Anote as informações sobre principais condições médicas, causas de morte, idade no diagnóstico da doença etc.
 
Obtenha registros médicos – documentos de apoio como registros médicos e atestados de óbitos podem ajudar a completar um histórico familiar de saúde. É importante manter esta informação atualizada e compartilhá-la com um médico.
 
Mesmo que você não conheça todas as informações do histórico familiar, passe para o clínico geral o que você souber. As informações sobre a história de saúde da sua família, mesmo que incompletas, podem ajudar o médico a decidir quais os exames de rastreio que você precisa e quando devem começar.
 
Conteúdo relacionado no site da Intermédica
 
 
Referências
 
 
Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica