Doenças invisíveis: falta de sintomas aparentes dificultam diagnóstico

Saúde e Bem-Estar -

Dores, febres, sangramentos, vômito e tosse são alguns sintomas incômodos de algumas doenças. Por pior que seja senti-los, esses sinais são fortes aliados nos diagnósticos de algumas doenças, pois indicam que algo está em desequilíbrio no organismo. O problema é quando a doença tem sintomas mais sutis ou que aparecem apenas quando o quadro está avançado. Nesses casos, é preciso realizar exames periódicos e preventivos quando existe um risco associado – por questões hereditárias, comportamentais ou idade mais avançada.

As principais doenças invisíveis são transtornos psicológicos, já que muitas vezes os sintomas são confundidos com personalidade e sentimentos. Mas algumas doenças fisiológicas também são difíceis de serem detectadas. Confira:

pai, mãe e filha criança brincando sentados no sofá

Lúpus

Uma das doenças autoimunes mais comuns, o Lúpus é difícil de ser detectado por ter sintomas que podem ser confundidos com outras doenças ou não ter sinais específicos. Muitas pessoas vivem com essa patologia crônica e descobrem apenas quando surge alguma complicação grave típica da doença. Quer saber mais sobre o Lúpus e doenças autoimunes? Acesse o link.

HIV

O HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) é uma das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) mais temidas, pois ainda não há cura e causa a Aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). A doença é conhecida por afetar o sistema imunológico de forma agressiva, tornando mais difícil de o corpo combater as doenças que surgirem.

O método de prevenção mais comum é o uso da camisinha masculina ou feminina, e é recomendável que todas as pessoas sexualmente ativas realizem o exame de diagnóstico uma vez ao ano para detectar a doença de forma precoce, já que os sintomas aparecem quando a infecção está avançada. Embora ainda haja preconceito e a percepção de que a pessoa soropositiva tenha “cara de doente” – como magreza e falta de força, características dos astros do rock que morreram de Aids nos anos 1980/1990 –, é possível levar uma vida normal ao fazer o tratamento correto. Saiba mais sobre o HIV no GNDI.

Diabetes

A doença crônica caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue também assusta muito – afinal, é preciso mudar todos os hábitos de vida de um dia para o outro. Os sintomas dos dois tipos de diabetes aparecem somente quando o nível de glicemia no sangue está muito elevado, mas é possível prevenir o tipo 2 com um estilo de vida mais saudável e com pouco consumo de carboidratos, doces e gorduras. Veja a diferença entre o diabetes tipo 1 e 2 neste artigo.

Hipertensão

Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, 35% da população brasileira tem hipertensão, mas metade não sabe disso. Silenciosa, a doença só apresenta sintomas quando está muito avançada e já comprometeu parte do organismo. Estima-se que a hipertensão atinja mais de 50% das pessoas acima de 65 anos. Entenda as causas, sintomas, fatores de risco e tratamento neste artigo.

Fibromialgia

Embora cause dores intensas no corpo, a fibromialgia nem sempre é diagnosticada de forma fácil, podendo ser confundida com outras doenças. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a fibromialgia pode surgir como quadro isolado ou estar associada a outras patologias reumáticas, como a artrite reumatoide ou doenças autoimunes, como o Lúpus. Confira aqui.

Ansiedade

O estresse e a ansiedade são respostas do corpo ao perigo. Na natureza selvagem, esses instintos são vitais; já na vida urbana e em excesso, podem ser prejudiciais à saúde. Há vários tipos de ansiedade, que podem vir de fatores específicos ou gerais. Embora seja de fácil diagnóstico, muitas pessoas só se dão conta de que têm ansiedade quando começam a desenvolver sintomas físicos ou já estão com a qualidade de vida comprometida. Conheça mais sobre a ansiedade e veja algumas técnicas para administrá-la.

Depressão

Tristeza e desânimo são sentimentos normais e todos vão sentir uma hora ou outra. Mas, você sabe quando deve se preocupar? Muitas pessoas com depressão vivem normalmente, saem para festas, sorriem, se arrumam, produzem como sempre e ignoram os sinais achando que é uma simples tristeza – até que perdem o interesse por atividades prazerosas, desenvolvem uma visão pessimista sobre a vida ou quando tem pensamentos suicidas. Veja mais sobre essa doença.

TDAH

Embora o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) possa ser identificado na infância, muitas pessoas passam a vida toda sem serem diagnosticadas. A falta de atenção, comportamento impulsivo e inquieto muitas vezes são confundidos com dificuldade de aprendizado e com traços de personalidade. Saiba mais sobre o TDAH e os tratamentos mais adequados.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde