Como é a mononucleose, conhecida por doença do beijo

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia, a mononucleose é uma doença infecciosa causada pelo vírus Epstein-Barr, da família do vírus do herpes. Geralmente acontece em jovens entre 15 e 25 anos. A mononucleose é transmitida pelo contato íntimo de salivas, por isso também é conhecida por doença do beijo. 

Um indivíduo é infectado quando o vírus entra em contato com nossa orofaringe e, depois, atinge os linfócitos B (também conhecidos por glóbulos brancos), responsáveis pela produção de anticorpos. Como outros vírus da família dos herpes, uma vez que o indivíduo é infectado o vírus permanece em suas amídalas, podendo ser assintomático ou sintomático ao longo da vida. É importante lembrar: uma pessoa que não apresenta os sintomas ainda assim pode ser um transmissor da doença.  

Como já mencionado anteriormente, a mononucleose pode ser transmitida através do beijo, mas o vírus também pode ser transmitido pelo contato com tosses e espirros de pessoas contaminadas.  Em raros casos, a mononucleose pode ser transmitida por transfusão de sangue de uma gestante para seu bebê, caso a mãe seja infectada pelo vírus durante a gravidez. 

Sintomas da Mononucleose

Embora a mononucleose possa não apresentar sintomas, os que podem aparecer são: 

Garganta inflamada;

Náuseas;

Amídalas inflamadas / vermelhas;

Febre alta;

Fadiga;

Inchaço no pescoço e nas axilas;

Dores de cabeça; e

Dores musculares.

Em casos mais graves, a mononucleose pode provocar um aumento do fígado e baço.  

Caso você apresente alguns desses sintomas e suspeite de mononucleose, consulte um infectologista. Os exames capazes de identificar a mononucleose são o exame de sangue (hemograma) e testes específicos que servem para identificar os anticorpos no corpo. 

Embora não exista um tratamento específico e nem cura para a mononucleose, normalmente é recomendado pelo especialista um tratamento que servirá para controlar os sintomas que a doença apresenta, como inchaço das amídalas e dor de garganta. 

Recomenda-se que o indivíduo se mantenha em repouso caso os sintomas apareçam, consuma uma quantidade significativa de líquidos para limpar o organismo. Além disso, pode ser indicado pelo especialista o uso de analgésicos e anti-inflamatórios. 


Referências

Mononucleose infecciosa - Sociedade Brasileira de Infectologia - acessado em 21/11/2018

Mononucleose infecciosa - Infoescola - acessado em 21/11/2018

O que é mononucleose e quais os sintomas? - acessado em 21/11/2018

Mononucleose - acessado em 21/11/2018

Mononucleose infecciosa (doença do beijo): o que é, sintomas e mais - acessado em 21/11/2018

 

 


Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica