Cisto nos rins: conheça os sintomas e saiba como tratar

Saúde e Bem-Estar -

Os cistos nos rins são pequenas bolsas com líquido que se formam dentro dos órgãos. Geralmente são benignos e não precisam de intervenção cirúrgica. Os sintomas são muito semelhantes aos sinais de pedras nos rins, como cólicas renais, dores intensas nas costas, aumento na frequência da necessidade de urinar e sangue na urina.

A nefrologista do Grupo NotreDame Intermédica, Cristiane Akemi Vicente, conta que que os cistos podem ser identificados por meio de ultrassonografia e exames de urina. “É fundamental fazer o exame de urina com mais frequência. É um exame simples, mas muito importante, pois conseguimos ter muita informação sobre a saúde dos rins”, indica.

Palmas de mãos aberta segurando um desenho que faz alusão ao formato do rim

Tipos de cistos e fatores de risco

Existem dois tipos de cisto nos rins: os cistos simples, que aparecem de forma isolada e com o decorrer da idade, e a Doença Renal Policística (DRP), que pode evoluir para doenças renais crônicas.

“Os cistos simples têm um conteúdo líquido dentro, geralmente são benignos e não fazem nenhuma diferença na função renal. Muitos pacientes não iriam saber que têm se não tivessem feito o ultrassom, porque ele não dá praticamente nenhum problema”, conta a especialista. Ela explica, ainda, que os cistos simples surgem, principalmente, em pessoas acima de 50 anos e, apesar dos sintomas, não são perigosos.

Já as Doenças Renais Policísticas possuem um fator genético e podem aparecer em pessoas mais jovens. Para esse tipo, é preciso acompanhamento constante e iniciar o tratamento de forma precoce, pois pode causar cistos em diversos outros órgãos, como fígado e pâncreas, além de comprometer a função renal – fazendo com que o paciente precise de hemodiálise.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas dos dois tipos são bem parecidos: dores nas costas, na região da lombar; cólica renal; sangramento na urina (porque o cisto pode sangrar), e náusea.

Para confirmar o diagnóstico, um simples exame de urina pode acusar a presença de hematúria microscópica, um sangramento que não pode ser visto a olho nu. Depois, é a vez da ultrassonografia, que poderá mostrar quantos cistos são. Quando eles podem ser confundidos com nódulos, é necessário realizar uma tomografia.

Prevenção

Não existe forma de prevenir, mas como os cistos são formados por conta da pressão nos rins, controlar a pressão arterial pode minimizar as chances do desenvolvimento da doença. A alimentação saudável e a ingestão de muito líquido – de preferência água – são hábitos que ajudam a evitar diversas doenças renais.

Tratamento

Raramente retiramos os cistos, mas é importante ter um acompanhamento para ver se não surgem outros ou para entender se aquela massa é, na verdade, um nódulo”, explica Cristiane. A análise é essencial, principalmente nos casos de DRPs, para avaliar também se os cistos estão crescendo depressa e se existe o risco de rompimento. Nesse caso, é preciso fazer uma intervenção mais direta.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com a colaboração da nefrologista Cristiane Akemi Vicente informações do site Tua Vida. – acesso em 18/03/2021

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde