Bicho Geográfico: o que é e como tratar? 

Cientificamente chamado de Larvas migrans cutâneas, o bicho geográfico é uma infecção de pele ocasionada por parasitas que vivem no intestino de cães e gatos e que contaminam uma pessoa quando tem contato com resquícios das fezes desses animais. Esses parasitas se chamam Ancylostoma braziliense e o Ancylostoma caninum. 

Trata-se de um verme longo, cilíndrico e afilado nas extremidades, que, quando infecta uma pessoa, caminha pela área contaminada, deixando marcas por onde passa, como se fossem linhas escuras, exatamente como os cartógrafos fazem (pessoas que desenham mapas). Por isso recebem o nome de bicho geográfico.

Outra maneira de contrair é quando cães e gatos evacuam em terras e areia e liberam os ovos do parasita. Com o solo quente e arenoso, as larvas conseguem se desenvolver e se manter por lá. Então, quando uma pessoa tem contato com estes locais, contrai a doença, que costuma se manifestar após uma semana.  

É uma doença simples, pois não penetra profundamente, ficando apenas na camada superficial, logo abaixo da pele.  

Sintomas 

O sintoma que melhor caracteriza o bicho geográfico são as linhas aleatórias que criam nas áreas por onde a larva passa. As marcas são finas, semelhantes ás de um mapa. Geralmente, esses riscos que se formam coçam muito e, em alguns casos, podem formar bolhas. Porque coçam, também podem desencadear irritação na pele. 

É normal que os sintomas apareçam depois de, aproximadamente, três dias após o contato com o lugar contaminado.  

Diagnóstico 
 

Os especialistas que podem diagnosticar a doença são: infectologista, dermatologista e clínico geral. O diagnóstico consiste na avaliação dos sintomas na pele e do histórico clínico do paciente e se teve, ou não, contato com terra ou areia. 

Tratamento 

O tratamento pode ser realizado com pomadas específicas e vermífugos. Se coçar muito, faça compressas com gelo para amenizar.  

Conteúdos Relacionados
https://www.gndi.com.br/saude/blog-da-saude/doencas-transmitidas-por-animais-domesticos 

Referências

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/bicho-geografico - acessado em 13/12/2018

https://www.sobiologia.com.br/conteudos/jornal/noticia3.5.php - acessado em 13/12/2018

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/bicho-geografico-larva-migrans-cutanea/ - acessado em 13/12/2018

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/bicho-geografico - acessado em 13/12/2018

https://brasilescola.uol.com.br/doencas/dermatose.htm - acessado em 13/12/2018

 

 


Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica