Síndrome de Down: o que é e quais são as especialidades indicadas para um tratamento adequado

Saúde e Bem-Estar -

Descoberta ainda durante a gestação, a Síndrome de Down é uma alteração genética causada por um erro na divisão celular durante a formação embrionária. Simplificando: o distúrbio é causado pela presença de três cromossomos 21 em todas, ou na maior parte, das células de um indivíduo.

As pessoas com Síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população. O diagnóstico inicial é feito durante o ultrassom morfológico fetal, que pode sugerir a ocorrência do distúrbio genético. Após o nascimento do bebê, é feito um exame do cariótipo – um estudo dos cromossomos – para confirmação da síndrome.

Menino com Síndrome de Down, sentado, brincando com peças coloridas

Tratamento da Síndrome de Down envolve integração de especialidades

Segundo a neurologista do GNDI, dra. Clarissa Bueno, o tratamento e o acompanhamento da Síndrome de Down é um trabalho integrado de múltiplas especialidades e percorre toda a vida do paciente. Por isso, a recomendação é que a criança passe por um processo integrado de atendimento nas áreas da neurologia, psicologia, fonoaudiologia e fisioterapia, entre outras, para um atendimento completo de necessidades que possam surgir.

Inicialmente, a neurologia auxiliará na detecção de problemas como a hipotonia muscular – que ocasiona atraso desenvolvimento motor dos pacientes com Down – e em questões como deficiência intelectual, epilepsia e transtorno do espectro autista.

“É essencial que bebês e crianças com síndrome de Down sejam acompanhados desde muito cedo”, afirma Clarissa. “Ao longo da vida, ele deverá manter um acompanhamento médico para monitorar o surgimento de problemas de saúde mental ou física. Existe, no portador da síndrome, uma predisposição à obesidade, por exemplo”.

Estímulo psicológico e fisioterápico proporciona maior qualidade de vida

Com carinho, compreensão de cada situação e profissionalismo, os especialistas presentes na vida das crianças com Síndrome de Down são capazes de proporcionar uma vida com mais autonomia, sociabilidade e, consequentemente, felicidade para elas.

“Elas precisam ser estimuladas desde o nascimento”, afirma a fisioterapeuta do GNDI, Camila Bittar. “A fisioterapia pode atuar já com o recém-nascido. Quando iniciamos a estimulação precoce, utilizamos métodos terapêuticos que procuram inibir padrões anormais de postura e promover ou facilitar o movimento, estimulando o desenvolvimento neuropsicomotor”.

Alguns benefícios da fisioterapia na Síndrome de Down, explica Camila, são combater a hipotonia e favorecer o desenvolvimento motor, ajudando a criança no aprendizado para segurar a cabeça, se sentar, rolar, ficar em pé, andar, desenvolver e, por fim, melhorar o equilíbrio.

Vínculo entre profissional e paciente, com acolhimento, é um diferencial na evolução dos pequenos

Um tratamento mais humanizado da síndrome de Down, em todas as especialidades, pode também provocar uma evolução mais rápida de possíveis déficits cognitivos e físicos das crianças.

Camila Bittar explica que trabalhos como os realizados pelo time de especialistas do GNDI – uma equipe de fisioterapia inovadora, especializada no atendimento de crianças com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor – contam uma abordagem holística do tratamento, ou seja: contemplam um cenário de tratamento que leva em conta a alteração neurológica específica do paciente, personalizando o acolhimento em cada caso.

“O acompanhamento e o vínculo entre profissional e paciente, quando se inicia a assistência multiprofissional, deve ser uma das relações mais importantes e acolhedoras”, avalia Camila. “Além disso, as assistências com atividades físicas, musicoterapia, fisioterapia, fonoaudiologia, acompanhamento nutricional, quando relacionado a métodos adequados destas especialidades, podem beneficiar na neuro-cognição destes indivíduos, trazendo assim resultados significativos. A abordagem multidisciplinar é essencial para desenvolver a criança de forma completa, abrangendo todas as suas áreas deficitárias”.

Acompanhamento multidisciplinar para crianças e adolescentes

Para ofertar aos beneficiários ainda mais qualidade no atendimento de crianças e jovens com necessidades especiais, o GNDI inaugurou, em 2021, o Núcleo de Terapias Integradas ABC: uma iniciativa que busca ser referência no atendimento para crianças de dois a 16 anos com transtornos de desenvolvimento e de fala, autismo, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor e Síndrome de Down.

Seguindo à risca as recomendações para evolução dos pacientes, o Núcleo conta com uma equipe multidisciplinar acolhedora e treinada para garantir diagnósticos assertivos e tratamentos eficazes. A Unidade, localizada em São Bernardo do Campo (SP), oferece terapias com embasamento em estudos e métodos científicos comprovados, escolhidos de acordo com cada caso. Dispõe salas para atividades em grupo, que permite socialização, e consultórios individuais para facilitar o desenvolvimento de habilidades básicas.

Os espaços customizados do Núcleo promovem mais conforto aos pacientes, sempre tendo em mente as exigências específicas dos seus diagnósticos e as necessidades de tratamento, personalizando cada atendimento e estimulando a socialização no espaço.

Referências

Fonte: Dra. Clarissa Bueno, neurologista do GNDI, e Camila Bittar, fisioterapeuta do GNDI.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde