Afinal, é possível morrer de soluço?

Saúde e Bem-Estar -

Todo mundo já soluçou algumas vezes na vida: seja depois de rir muito, após uma refeição ou por nenhuma razão aparente. Embora possa parecer um incômodo inofensivo, o soluço constante, por vários dias, seguidos pode indicar disfunção em órgãos do aparelho digestivo. Em casos mais graves – e raros – pode, inclusive, levar o paciente a óbito.

Mulher segurando um copo de água na mão

Por que soluçamos?

Segundo o gastroenterologista e diretor médico de Medicina Preventiva do Grupo NotreDame Intermédica, Eider Soares Cardoso, engolir muito ar é a principal causa de soluço – e não envolve doenças. É o caso de quando rimos muito e depois começamos a soluçar. “O soluço é uma disritmia da musculatura. Ele pode acontecer quando existe uma ingestão de ar excessiva ou quando existe refluxo de ácido no estômago, pois isso irrita o esôfago e faz ele perder a sincronia”, explica.

O especialista conta, ainda, que o soluço costuma aparecer de forma mais frequente em quem sofre de problemas gástricos e em quem não se alimenta corretamente. “O soluço é de natureza benigna, mas pode indicar alguma patologia ligada ao refluxo ou ao funcionamento comprometido por um hábito que existe. Ele é um sinal indireto, ou seja, nem todo mundo que soluça obrigatoriamente tem uma doença”, conta Cardoso.

Quando você deve se preocupar

Embora seja uma “disfunção pontual”, e não uma doença, a persistência do sintoma pode ser algo preocupante. “É importante observar a frequência. Qualquer sintoma do aparelho digestivo que seja diário é um sinal de que algo está errado e precisa ser investigado. Por exemplo, se você tem uma dor no estômago hoje porque nas últimas vinte e quatro horas ingeriu algo que não fez bem, é algo visto como pontual. Mas, se tem dores no estômago sempre depois de comer e o sintoma se agrava em determinadas situações, é indício de que existe um problema. Com o soluço é a mesma coisa”, explica o gastroenterologista.

Soluçar por várias horas no dia ou vários dias seguidos e de forma intensa não é normal. Portanto, é importante procurar um especialista para investigar e iniciar um tratamento.

É possível morrer de soluço?

Por mais absurdo que seja, a resposta é sim: é possível morrer de soluço. Não é o sintoma propriamente dito que mata, mas ele pode estar atrelado a doenças graves que, se não forem tratadas, podem levar à morte.

O especialista explica ainda que a respiração fica comprometida. “Esse é o principal agravo do extremo do soluço crônico. Acontece que essa dissincronia envolve vários músculos, inclusive o diafragma, que ajuda na respiração”. Em casos mais extremos, o paciente precisa ser sedado.

O soluço persistente ainda pode desencadear – ou indicar – outros problemas gastrointestinais. Isto porque o sistema digestivo funciona em sincronia: um órgão precisa do outro para que todo o processo de digestão seja concluído. Quando uma das etapas não funciona como deveria, todo o sistema fica comprometido.

Como diminuir a incidência

Métodos para acalmar a respiração, como segurar o fôlego por alguns segundos ou ingerir água, podem ajudar a acabar com o soluço quando o incômodo surge. Já para diminuir a incidência do sintoma, é importante tratar doenças gástricas, evitar a ingestão de líquido durante as refeições – principalmente refrigerantes – e mastigar bem antes de engolir os alimentos.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com colaboração do gastroenterologista e diretor médico do Grupo NotreDame Intermédica, Eider Soares Cardoso.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde