Saiba o que faz um ortopedista

Saúde e Bem-Estar -

No Grupo NotreDame Intermédica, centenas de profissionais de saúde, com especialidades distintas, estão à disposição dos beneficiários. Muitas vezes, podem surgir dúvidas de qual especialista procurar ou, até mesmo, qual é o mais indicado, de acordo com os sintomas. Hoje, vamos esclarecer dúvidas das atribuições de um ortopedista.

Médico mostrando exame de raio-x para paciente

Atribuições

Conforme explica a Dra. Liége Mentz-Rosano, coordenadora médica do Programa de Coluna do Grupo NotreDame Intermédica, ortopedista é o médico que cuida de doenças relacionadas ao aparelho locomotor, como ossos, músculos, ligamentos e articulações.

“Resumidamente, ele é o profissional responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças musculoesqueléticas”, afirma Liége. “O ortopedista pode atender pacientes de todas as idades, desde bebês até idosos. Pode especializar-se ainda mais, escolhendo tratar apenas de problemas de coluna, joelho ou mãos, entre outros”.

Diferenças com a fisiatria

É importante ressaltar que o ortopedista cuida de problemas musculoesqueléticos que incluem ossos, músculos, articulações e tendões. Já o fisiatra está indicado para os casos de dor crônica nos músculos ou nas articulações, assim como nas dores crônicas de coluna.

“Situações como uma dor crônica de coluna também tem indicação de fisiatra”, aponta Liége. “O fisiatra cuida da reabilitação de qualquer lesão musculoesquelética”.

Exames

Alguns exames de imagem auxiliam o ortopedista no diagnóstico de doenças osteomusculares ou osteoarticulares. É o caso do raio X, da Ultrassonografia, da tomografia computadorizada e da ressonância nuclear magnética.

“Cada exame tem uma indicação específica, e cabe ao médico analisar qual o exame necessário em cada caso. Mas todos são exames que complementam o histórico e os exames físicos demandados pelo médico”, detalha Liége.

Periodicidade

A periodicidade das consultas depende do quadro clínico de cada paciente. Alguns necessitam consultas mais frequentes, com retornos mensais para avaliar a evolução da doença. Pacientes com dor crônica podem necessitar retornar a cada três ou seis meses.

“É importante o paciente ser orientado a fazer novas avaliações caso ocorram alteração no padrão da sua dor, perda de força muscular, formigamentos ou apresente novos sintomas”, explica Liége.

Pronto-socorro

Muitos têm dúvida de como proceder em caso de urgência. Conforme explica a ortopedista, o pronto-socorro ortopédico deve ser procurado por pacientes com uma situação de trauma, entorse ou dores agudas.

“O paciente com dor de forte intensidade e/ou perda de força muscular também deve procurar um pronto atendimento", aconselha Liége. “Nesses procedimentos do pronto atendimento, é comum a utilização de talas, imobilizações e gesso, entre outros”.

Doenças

Os problemas da coluna são as doenças mais frequentes, sendo a lombalgia a queixa principal do consultório de um ortopedista. Entre as doenças musculoesqueléticas crônicas, as artroses, tendinites e bursites são as mais comuns. As lesões musculares são muito frequentes em pacientes mais jovens e praticantes de atividades físicas.

“As fraturas podem ser vistas em todas as idades, sendo as alterações agudas mais comuns, seguidas das lesões ligamentares”, revela a ortopedista.

Faixas etárias

O ortopedista é um profissional requisitado em todas as idades, desde crianças até idosos. Adultos jovens costumam ser os que mais sofrem lesões musculoesqueléticas, sendo os que mais procuram atendimento ortopédico.

Prevenção

Praticamente todos os problemas ortopédicos podem ser prevenidos, conta Liége. “As principais formas de prevenção são as correções posturais nas atividades do dia a dia, no ambiente de trabalho e na execução de atividades que exijam esforços”, conta.

Isso é possível pela prática de exercícios físicos regulares, com auxílio de profissionais de educação física para a correta execução de exercícios, e, também, bons hábitos alimentares, que mantêm o peso ideal.

Mitos e Verdades

“O exercício é contraindicado para quem tem dor nas articulações”: mito.

O exercício é benéfico para todos os problemas ortopédicos, mas deve ser adaptado conforme a lesão que o paciente possui. “O médico deve orientar que exercícios o paciente pode realizar e quais deve evitar”, diz Liége.

“O frio e a umidade pioram as dores”: verdade.

O clima quente e seco ajuda a aliviar a dor nas articulações. Pessoas com artrite sentem uma pressão desconfortável nas articulações em dias de alta umidade e baixa pressão atmosférica e costumam fazer "previsões" de tempo pois a dor avisa que o tempo vai ficar chuvoso.

“Usar salto é ruim para dor lombar e nos joelhos”: mito.

Conforme explica a ortopedista, tanto sapatos rasteiros quanto saltos altos podem aumentar essas dores. “Saltos de 2 a 3cm e de base larga ajudam a diminuir as dores nas costas”, revela Liége.

“Mochilas podem causar deformidades nas costas”: verdade.

O uso constante de mochilas pesadas, principalmente em um ombro só, pode levar a escoliose e a dor crônica nas costas. Procure alternar a posição da mochila, colocando nas costas ou na frente do corpo e sempre equilibrando nos dois ombros.

Referências

Fonte: Liége Mentz-Rosano, coordenadora médica do Programa de Coluna do Grupo NotreDame Intermédica

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde