O que é embolia pulmonar?


A embolia ou trombose pulmonar acontece quando uma ou mais artérias do pulmão estão obstruídas por um coágulo de sangue impedindo a passagem de sangue e provocando a morte progressiva da região. Estes coágulos partem na maioria das vezes da perna e, em alguns casos mais raros, podem ser causados por ar, gordura ou células cancerosas. O tratamento imediato ao diagnóstico reduz o risco de morte. Uma das mais importantes recomendações médicas para prevenir a formação dos coágulos sanguíneos nas pernas ajudará a prevenir a embolia pulmonar. 

Sintomas

Os sintomas da embolia pulmonar podem variar de acordo com a porcentagem de comprometimento do pulmão, do tamanho dos coágulos e ou se você tem alguma doença pulmonar ou cardiovascular preexistentes.

Alguns dos sintomas incluem: 

  • Falta de ar: sintoma que aparece de repente e se agrava diante de um esforço físico
  • Dor no peito: as dores nesta região se confundem com um ataque cardíaco. Geralmente pioram diante de uma tosse, espirro ou esforço.
  • Tosse: pode vir acompanhada de sangue
  • Dores ou inchaço nas pernas
  • Febre
  • Suor excessivo
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Tontura


Causas

Conforme já mencionado, a embolia pulmonar ocorre quando um coágulo de sangue, gordura, colágeno, parte de um tumor ou bolhas de ar dificultam a passagem de oxigênio para a área. Geralmente estes coágulos são provenientes das veias das pernas, o que caracteriza a Trombose Venosa Profunda (TVP).

Na maioria dos casos, vários coágulos dificultam a passagem do oxigênio, mas isso não acontece de uma vez. É um processo gradativo e, se vários se formarem de uma vez, pode ocasionar o infarto pulmonar.

Fatores de risco

Embora qualquer pessoa possa desenvolver coágulos sanguíneos, existem alguns fatores que podem fazer com que isso aconteça com mais facilidade. 

  • Histórico familiar: distúrbios hereditários que afetam o sangue, tornando-o mais propenso a coagular.
  • Tratamentos médicos: insuficiência cardíaca, câncer (principalmente no pâncreas, ovário e pulmão), quimioterapia, cirurgias no geral (medicamentos devem ser tomados antes e depois de grandes cirurgias para ativar a articulação).
  • Imobilidade: é mais provável que coágulos de sangue se desenvolvam diante de repouso médico, ficar de cama após uma cirurgia, fratura na região das pernas, ficar sentado em carros, ônibus, trens e aviões por muito tempo.
  • Gravidez: o peso do bebê pressionando as veias na pelve pode retardar o retorno do sangue, especialmente se o paciente fumar.
  • Tabagismo.
  • Sobrepeso ou obesidade.
  • Anticoncepcionais.

 
Complicações.

A maior complicação da embolia pulmonar é que pode ser fatal. Aproximadamente um terço das pessoas com a doença não diagnosticada não sobrevivem. Porém, quando tratada, as chances são reduzidas significantemente.

Também pode causar a hipertensão pulmonar, que é caracterizada por quando a pressão sanguínea nos pulmões e no lado direito do peito do coração é muito alta. Quando uma pessoa tem obstruções nas artérias dos pulmões, o coração passa a trabalhar com mais força para empurrar o sangue através desses vasos, o que pode causar o enfraquecimento do coração.

Nos casos mais raros, a embolia pulmonar pode se transformar em hipertensão pulmonar crônica ou doença pulmonar tromboembólica crônica.

Prevenção

Pessoas que têm predisposição a desenvolver coágulos de sangue devem tomar anticoagulantes e fazer o uso de meias de compressão, sempre com acompanhamento médico.

Elevação das pernas sempre que possível: em longas viagens, durante o dia de trabalho, durante a noite, se possível.

Referências

https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/pulmonary-embolism/symptoms-causes/syc-20354647
(acessado em 19/03/2019)
https://www.minhavida.com.br/saude/temas/embolia-pulmonar
(acessado em 19/03/2019)

 


Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica