Média de partos normais na cidade de São Paulo foi de 44% em 2016

Rede pública manteve a melhor média, com 65% de partos normais, enquanto que na rede particular a média ficou em 17%

Dados do Ministério da Saúde mostram que em 2016, foram realizados 188.119 mil partos na cidade de São Paulo. Deste total,  82.794 mil, ou 44%, foram partos normais. A rede pública manteve a melhor média, com 65% de partos normais, enquanto que na rede particular a média ficou em 17%. Apesar da discrepância, alguns hospitais da rede particular demonstraram bons resultados.

No ranking de 2016, dois Hospitais do Grupo NotreDame Intermédica lideraram a lista dos particulares em número de partos normais. O Hospital e Maternidade SacreCouer, o melhor colocado, realizou 3.301 partos, com 34% de partos normais. Já o Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário, localizado na zona norte de SP, realizou 2.256 partos, sendo 30% de partos normais.

O Dr. Rodoldo Pires de Albuquerque, diretor médico do Grupo NotreDame Intermédica, lembra que esta média alcançada pela rede particular ainda está longe de ser a ideal, mas já demonstra um certo avanço. "Manter dois Hospitais e Maternidades de nossa rede no topo do ranking é resultado de uma série de esforços do Grupo. Além de termos um comitê especializado nesta questão, criamos protocolos de conduta que devem ser seguidos por todos os profissionais de nossa Rede Própria com metas específicas para que a média de partos normais fique próxima do nível ideal. Desenvolvemos diferentes programas de medicina preventiva que visam estimular o parto normal, respeitando as particularidades de cada mãe, sua saúde e a de seu bebê", conta.

Ele explica que as vantagens do parto normal são inúmeras, tanto para o bebê como para a mãe. "A primeira dela é o favorecimento do contato pele a pele, imediatamente após o parto. É importante lembrar também que o desconforto do parto normal passa logo após o nascimento, permitindo uma recuperação mais rápida do que o parto cesariano", analisa.

Vantagens do parto normal para o bebê:

  • Permite que a natureza siga seu rumo natural, deixando o bebê e o seu corpo determinarem a hora certa de nascer, reduzindo o risco de prematuridade e da necessidade de o bebê ser internado na UTI neonatal.
  • O trabalho de parto faz com que o corpo da mãe massageie o bebê, o que é muito importante para pulmão e coração.
  • O parto normal favorece a expulsão de líquido do pulmão, diminuindo o risco de desconforto respiratório e a necessidade de respirar com ajuda de aparelhos.
  • A mãe pode abraçar e amamentar o filho logo ao nascer, o que ajuda a estimular a produção do leite.

Vantagens para a mãe:

  • Para mulheres com menor tolerância à dor, uma anestesia pode ser feita para aliviar o desconforto no momento do nascimento.
  • Para avaliar como está o bebê, o parto é monitorado no hospital, pelo médico ou por uma enfermeira obstétrica, durante todo o tempo. Se ocorrer qualquer problema, o médico poderá indicar uma cesárea para garantir o bem-estar da mãe e do bebê.
  • O parto normal tem menos complicações, ou seja, possui menor incidência de infecções e menor risco de hemorragia e trombose.
  • Após o parto normal as mulheres ficam menos tempo internadas.
  • A mãe retorna rapidamente às atividades normais porque sente menos dor após o parto, pois o corte na vagina dói menos do que o da barriga realizado no parto cesárea.
  • O útero volta mais rápido ao tamanho normal, evitando hemorragias

Programa Gestação Segura

O PGS - Programa de Gestação Segura é gratuito e destinado às beneficiárias do Grupo NotreDame Intermédica. O objetivo é promover a saúde das futuras mamães, melhorando sua qualidade de vida e, consequentemente, a da família.

O acompanhamento é realizado durante a gestação e no pós-parto por meio de monitoramento telefônico, cujo objetivo é esclarecer dúvidas e realizar encaminhamento para cursos, consultas de enfermagem, médicos de referência, entre outros.

O PGS dispõe equipe multiprofissional (médico, enfermeira, nutricionista), curso de preparo para o parto, direcionamento a médicos de referência (especialmente a gestantes de alto risco) e apoio e direcionamento após internação. Oferece também um canal aberto de informações sobre a saúde da mamãe e do bebê.