Depressão: como prevenir e tratar


A depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas de todas as idades pelo mundo e é a principal causa de incapacitação das pessoas. Não é à toa que a condição foi escolhida pela ONU como tema do Dia Mundial da Saúde de 2017. Mas, como prevenir e tratar essa doença, que pode nem ser percebida por quem é afetado?

Trata-se de uma condição de saúde que ainda envolve muito preconceito. Por isso, muita gente tem vergonha de falar sobre o assunto e assumir que sofre de depressão. É exatamente esse comportamento que os especialistas aconselham evitar. Falar abertamente sobre o assunto e procurar ajuda é vital. Mas, como nem sempre é fácil identificar a depressão, fique atento a alguns sinais e sintomas:

  • Sonolência excessiva ou falta de sono;
  • Tristeza, crises de choro, falta de esperança e sensação de vazio;
  • Perda de interesse em atividades que antes eram divertidas;
  • Perda do interesse sexual;Falta de energia e cansaço;
  • Ansiedade e agitação;
  • Problemas físicos repentinos, como dores nas costas e enxaqueca.


Para algumas pessoas, esses sintomas aparecem em um grau bastante forte, o que facilita perceber que algo vai mal. Nesse caso, o diagnóstico de depressão pode ser mais fácil e rápido. No entanto, em outros pacientes, eles se revelam de forma mais leve, o que traz uma sensação de infelicidade sem explicação. De qualquer forma, se você tiver alguns desses sinais e sintomas, não significa que esteja com depressão. Mas, na dúvida, é sempre importante procurar um médico. 

Como prevenir e tratar a depressão?

Pesquisas têm mostrado que alguns hábitos simples, e que melhoram bastante sua qualidade de vida, podem ajudar a prevenir a depressão, tais como:

Dormir bem - quanto melhor é a noite de sono, ficamos menos propensos a desenvolver depressão.

Exercitar-se - 30 minutos de exercícios físicos moderados aumentam os níveis de substâncias ligadas à sensação de bem-estar.

Meditar - como a meditação ativa áreas do cérebro ligadas à felicidade, também é uma arma importante contra ansiedade e depressão.

Encontrar uma paixão - hobbies ou atividades que dão extremo prazer ajudam a atravessar fases difíceis, pois são motivadoras e proporcionam realização pessoal.

Controlar as taxas de açúcar - corpo e mente estão intimamente ligados. Quedas e altas na taxa de açúcar no organismo (hipoglicemia e hiperglicemia respectivamente) têm a capacidade de alterar o nosso humor. Se isso ocorrer repetidamente, pode levar a um quadro de depressão.

Felizmente, existe tratamento para a depressão em qualquer estágio. Ele pode envolver o uso de medicamentos, terapias - motivação comportamental, terapia cognitivo-comportamental e psicoterapia interpessoal - e até a prática de exercícios físicos.

Se você tem apresentado possíveis sintomas de depressão, procure um clínico geral, não se isole. Ele avaliará o seu caso e, se for necessário, o encaminhará para um especialista.

Referências

https://nacoesunidas.org/depressao-e-tema-de-campanha-da-oms-para-dia-mundial-da-saude-de-2017/ - acessado em 29/03/2017
http://www.mind.org.uk/information-support/types-of-mental-health-problems/depression/#.WKyK1DvyvIU - acessado em 29/03/2017
https://www.beyondblue.org.au/the-facts/depression/treatments-for-depression - acessado em 29/03/2017
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/depression/basics/treatment/con-20032977 - acessado em 29/03/2017
http://www.lifehack.org/articles/lifestyle/5-great-ways-prevent-depression-naturally.html - acessado em 29/03/2017



Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica