Solidariedade em tempos de Coronavírus: veja como ajudar o próximo

Saúde e Bem-Estar Você Sabia? -

A saúde não foi a única afetada durante a pandemia do Coronavírus: muitas pessoas perderam o emprego e microempresas precisaram fechar as portas por conta de uma crise econômica que se alastrou por todos os setores. Com o desemprego em alta e autônomos que não podem trabalhar até a quarentena acabar, o índice de pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social está aumentando ainda mais.

Em contrapartida, o termo “solidariedade” nunca foi tão pesquisado: isso mostra que em meio ao caos, ainda existem pessoas que querem ajudar de alguma forma – seja com ações ou doações. Se você também está com a empatia aguçada, mas não sabe como contribuir, confira algumas dicas neste artigo do GNDI.

Mãos com luvas segurando pacote com alimentos, óleo, frutas, enlatados e massas

Doação de Sangue

O isolamento social afetou também os bancos de sangue: os postos de coleta estão sofrendo com a queda no número de doadores. Para driblar esta crise sem criar aglomeração de pessoas e arriscar a transmissão do Coronavírus, as instituições agora fazem um agendamento on-line. Para doar sangue, basta acessar o site do ponto de coleta mais próximo e marcar um horário – você pode consultar os hemocentros da sua cidade no site do Ministério da Saúde.

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e ter a saúde em bom estado, ou seja, sem doenças infecciosas, manifestação de sintomas respiratórios ou febre nos últimos 30 dias, além de estar há mais de 14 dias sem contato com alguém infectado pela Covid-19. Caso seja menor de 18 anos, você precisará da autorização de um responsável.

Como doar cestas básicas?

Uma das formas mais comuns de ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social é por meio de doações de cestas básicas. Algumas comunidades fazem essa coleta com o auxílio de ONGs (Organização Não Governamental) e igrejas, mas as doações também podem ser feitas por meio de algumas organizações estaduais e nacionais, que distribuem alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza. Veja algumas delas:

UniãoSP: a iniciativa aceita doações para a compra de cestas básicas – com alimentos e itens de higiene e limpeza – e que são distribuídos para famílias em situação de vulnerabilidade do Estado de São Paulo. Para doar, basta acessar ou enviar um e-mail para: doe@uniaosp.org ou, caso prefira, pode-se efetuar transferência bancária.

Casa Chama: a instituição atualmente ajuda cerca de 260 pessoas transgênero, transexuais e travestis, sendo que 85% delas vivem em situação de extrema vulnerabilidade. Com as arrecadações através de uma vaquinha on-line, o objetivo do grupo é comprar cesta básica, equipamentos de proteção pessoal contra o Conoravírus, produtos de higiene pessoal e limpeza e medicamentos.

Solidariedade Pra Mudar SP: A iniciativa criada para divulgar medidas de conscientização sobre a Covid-19 iniciou uma campanha de doação de alimentos e produtos de higiene, inclusive álcool gel e absorventes para pessoas em situação de vulnerabilidade social em São Paulo. O projeto ainda faz a coleta e a distribuição desses artigos, além de receber doação em dinheiro para fazer essas compras.

Organização de Voluntárias de Goiás (OVG): quem mora em Goiás pode doar alimentos não-perecíveis ou dinheiro para a OVG. As cestas básicas são coletadas na sede (Rua T-14, 249, Setor Bueno) ou na unidade Mesa Brasil do SESC de Goiás e são distribuídas para famílias em situação de vulnerabilidade que vivem no estado de Goiás. A ONG tem parceria com o Sistema Fecomércio SENAC-SESC e responde dúvidas pelo e-mail atendimento@go.senac.br.

Ação da Cidadania: a instituição visa aumentar sua atuação na distribuição de alimentos para famílias impactadas pela crise do Coronavírus de todo o País. Ao acessar o site, o benfeitor pode escolher a melhor forma de doação.

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB): além de pressionar o governo federal para a criação de um Plano de Ação Emergencial de prevenção e atendimento aos territórios indígenas, a APIB arrecada recursos por meio de um fundo coletivo e distribui alimentos e medicamentos em aldeias.

*Fique de olho também nas redes sociais e em ONGs menores próximas da sua residência, elas podem precisar ainda mais de doações.

Como doar leite durante a pandemia?

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou queda de 5% nas doações de leite materno nos primeiros quatro meses do ano em relação a 2019. A redução se deu por conta do medo de contrair o Coronavírus. No entanto, o Ministério da Saúde recomenda que mulheres saudáveis continuem doando leite, mesmo que o pote não esteja cheio – cada pote de leite humano pode alimentar até dez recém-nascidos.

Assim como os hemocentros, alguns postos de coleta e bancos de leite fazem agendamento de doações para evitar aglomerações e proporcionar segurança ao doador. Para doar leite humano, você deve estar saudável, sem apresentar sintomas de Covid-19 ou gripe. Se morar com alguém que contraiu o Coronavírus ou suspeita de que esteja, não deve fazer neste período.

Como ajudar no combate do Coronavírus?

Respeitar a quarentena e o isolamento social é o jeito mais fácil de ajudar a conter a transmissão do Coronavírus – todos podem contribuir com a causa saindo de casa apenas para o essencial. No entanto, muitas instituições de saúde e pesquisa precisam de doações de recursos para continuar funcionando e combatendo a Covid-19.

Unidos contra a Covid-19: a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) tem uma campanha na qual recebe recursos no combate ao Coronavírus. A verba será convertida na construção de um hospital, além de implementar projetos e pesquisas. As doações podem ser feitas com valores a partir de R$ 30 pelo site ou depósito bancário.

Fundo Social de SP (FUSSP): as doações recebidas pelo governo de SP serão usadas na compra de materiais e pagamentos de serviços relacionados ao combate à Covid-19. As doações podem ser feitas por depósito ou transferência bancária.

Cruz Vermelha Brasileira: as doações para a Cruz Vermelha vão servir para viabilizar ações humanitárias e atividades de voluntários, formação de técnicos de enfermagem e, ainda, ajudar a manter a infraestrutura hospitalar durante a pandemia do Coronavírus. As doações podem ser feitas por meio do link ou por depósito bancário.

UNICEF: o UNICEF Brasil realiza diversos projetos para ajudar crianças e comunidades em situações de vulnerabilidade em todo o País com ajuda de doações de pessoas físicas e empresas. Durante a pandemia, a ONG trabalha para combater fake news, disseminando informações confiáveis para famílias com crianças. Para doar, basta acessar o site.

Como ajudar o próximo durante a pandemia pelo novo Coronavírus?

Não é só doação de recursos que faz a diferença: podem ser boas ações apoiar pequenos comerciantes, disponibilizar-se para ir ao mercado ou farmácia para vizinhos que fazem parte dos grupos de risco ou até contribuir com a distribuição de cestas básicas para quem precisa. Veja como ajudar o próximo sem doar dinheiro:

- Compre de pequenos comerciantes: segundo dados do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às micro e pequenas empresas) publicados pela CNN, em abril, ao menos 600 mil micro e pequenas empresas entraram em falência e precisaram fechar as portas por conta da quarentena. O estudo ainda mostra que nove milhões de pessoas foram demitidas no período. Comprar produtos de pequenos empreendedores é uma forma de ajudar a impedir que mais indivíduos fiquem sem emprego e empresas fechem: pode ser desde máscara de tecido que uma vizinha faz para vender à compra de produtos do mercadinho do bairro. 

- Vizinho solidário: a quarentena é importante para todos, mas quem está no grupo de risco – como diabéticos, hipertensos e idosos – deve tomar cuidado redobrado. Se você não faz parte desses grupos, que tal se disponibilizar para fazer compras ou ir à farmácia por eles? Se tiver carro, também pode passar seu contato e pedir para que liguem se precisarem ser levados ao hospital.

- Trabalho voluntário: mais do que nunca, os hospitais e postos de saúde públicos precisam de voluntários. ONGs que distribuem alimentos e produtos de limpeza para comunidades também necessitam de ajuda. Se você não faz parte do grupo de risco e quer ajudar de alguma forma, veja quais são as instituições que precisam de voluntários e se inscreva.

- Trabalho voluntário a distância: com a quarentena, o trabalho voluntário também se reinventou e agora as plataformas buscam pessoas dispostas a doarem tempo e conhecimento para causas sociais.

Atados: um dos principais portais para quem busca ajudar a distância. Você pode escolher vagas por causa, por conhecimentos, habilidades ou disponibilidade. Na Atados não falta opções: pode ajudar aconselhando pequenas empresas a manter o negócio, criar sites para ONGs ou ajudar a escrever newsletters.

Busca voluntária: com foco em ações sociais, o site permite selecionar a causa, o local e a forma de trabalho (presencial ou a distância).

Dream NGo: se você é da área de marketing ou tecnologia, essa plataforma é ideal. Ela tem diversas vagas focada em criação de projetos de comunicação para ONGs.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com informações do Ecoa, CNN e Ministério da Saúde – acesso em 10/06/2020.

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde