Veja a relação entre o uso do anticoncepcional e a trombose

Saúde e Bem-Estar -

Não é segredo para ninguém que a pílula anticoncepcional tem alguns efeitos colaterais assustadores. Os hormônios que previnem a gravidez e controlam o ciclo menstrual podem bloquear alguns neurotransmissores e causar depressão ou ansiedade, trazer doses extras de dor de cabeça, contribuir para ganho ou perda de peso e o efeito mais temido: causar trombose.

Embora seja raro, o efeito colateral é letal e o uso da pílula deve ser interrompido a qualquer sintoma que possa indicar a doença. Além disso, a usuária deve procurar um pronto-socorro caso suspeite que desenvolveu trombose.

Mulher segurando cartela de anticoncepcional de comprimido

O que é trombose?

A trombose ocorre quando um coágulo obstrui uma veia ou mais da perna e impede a passagem do sangue. Quando o coágulo se desprende o dano é maior: ele pode caminhar livremente pelo corpo e ficar preso no cérebro, pulmões, coração ou outros órgãos, causando embolia. O diagnóstico é feito por meio de exames laboratoriais e de imagem, como exame de sangue, ultrassonografia, venografia, Eco Color Doppler (Ultrassom Vascular), tomografia e ressonância magnética.

Os principais sintomas são:

  • Dor nas pernas
  • Vermelhidão
  • Inchaço
  • Aumento da temperatura na região
  • Rigidez

Para aumentar a conscientização sobre a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, o Ministério da Saúde criou o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, comemorado em 16 de setembro.

A relação entre anticoncepcional e trombose

As pílulas anticoncepcionais, em sua maioria, são conhecidas como “combinadas”, pois trazem dois hormônios para obter a prevenção à gravidez e controlar o ciclo menstrual: o estrogênio e a progesterona. E são essas que têm risco de causar trombose.

Conforme explica a ginecologista do Grupo NotreDame Intermédica, Juliana Pierobon, isso acontece porque o estrogênio pode aumentar a coagulação do sangue. “É por isso que muitas vezes a mulher tem trombose no pós-parto, quando está com o nível de estrogênio muito alto, ou quando toma pílula e ficará internada depois de uma cirurgia”.

Neste caso, o hormônio é causador de trombose venosa profunda, que pode ser a fonte de pedaços de trombo que se desgrudam do trombo maior e causam um tromboembolismo pulmonar (quando este trombo encalha no pulmão). Esse tipo de trombose não causa embolia cerebral – essa é originada no coração.

Tipos de anticoncepcional sem riscos de trombose

Nem todo método anticoncepcional conta com risco de trombose: aqueles que funcionam à base de progesterona não causam o efeito colateral. “Eles podem proporcionar o surgimento de acne e causar um aumento de peso, mas os riscos de doenças graves são muito menores”, comenta.

Quem tem mais riscos de desenvolver trombose pode optar pelos métodos hormonais sem estrogênio, como DIU Mirena, injeção anticoncepcional trimestral (Depo Provera ou Contracep) ou o Implanon (dispositivo aplicado na pele). O DIU de cobre também é seguro neste caso, pois não possui hormônios.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com colaboração da ginecologista, Juliana Pierobon, e informações do Ministério da Saúde. – acesso em 05/08/2021

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde