Tudo o que você precisa saber sobre a Pílula do Dia Seguinte

1. O que é a Pílula do Dia Seguinte?

A Pílula do Dia Seguinte, ou PDS, é um contraceptivo de emergência que – como o nome sugere – deve ser ingerido após relação sexual desprotegida. Em relação à composição da pílula, existem dois principais medicamentos: o ulipristal e o levonorgestrel.

Leia mais

2. Como funciona a Pílula do Dia Seguinte?

Contrário ao que muitas pessoas acreditam, a PDS não é abortiva. Dependendo do estágio do ciclo menstrual no qual a mulher se encontra, a Pílula do Dia Seguinte age de forma diferente.

Se a mulher ainda não tiver ovulado até o momento de ingestão da pílula, ela age para atrasar a ovulação – impedindo a fecundação. Em casos em que já tenha ocorrido a ovulação, a pílula altera o ambiente uterino para dificultar que o espermatozoide chegue até o óvulo. Caso haja a fecundação, a pílula impede que o óvulo se fixe na parede do útero – evitando, assim, a formação de um embrião.

É importante destacar que, caso já se tenha formado um embrião no momento de ingestão da Pílula do Dia Seguinte, ela não é capaz de interromper a gestação.

Leia mais

3. Quais as indicações de uso da Pílula do Dia Seguinte?

Após a relação sexual desprotegida, é recomendado que a PDS seja ingerida em até 72h. Porém, quanto antes melhor, preferencialmente em até 24h para maior eficácia. Depois desse prazo, sua eficiência começa a diminuir.

A pílula é recomendada para casos de relação sexual completamente desprotegidos ou em que os métodos contraceptivos utilizados venham a falhar. Por exemplo, quando há rompimento do preservativo ou a mulher não toma a pílula anticoncepcional com regularidade. Em casos de estupro, a Pílula do Dia Seguinte é frequentemente indicada. Vale mencionar que a PDS evita somente a gravidez e, em casos de relação sexual desprotegida, há também o risco de contração de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

Leia mais

4. Qual a eficácia da Pílula do Dia Seguinte?

Se tomada em até 24h após a relação sexual desprotegida, a eficácia da Pílula do Dia Seguinte é de 88%.

5. Existem contraindicações para o uso da Pílula do Dia Seguinte?

Sim. Para mulheres com distúrbios metabólicos e/ou problemas cardiovasculares, a PDS pode ser contraindicada. É recomendado conversar com um médico antes de tomar o medicamento, embora não seja necessária receita médica.

6. Quais os efeitos colaterais da Pílula do Dia Seguinte?

Os sintomas variam de acordo com cada organismo, porém os efeitos colaterais mais comuns são:

  • Enjoo e vômitos;
  • Diarreia;
  • Dor de cabeça;
  • Irregularidade menstrual;
  • Pequenos sangramentos.

Leia Mais

7. Quantas vezes posso tomar a Pílula do Dia Seguinte?

A recomendação é que não se tome a PDS mais de uma vez por mês, pois ela perde a eficácia. Vale reforçar que este é um método contraceptivo emergencial e não deve se tornar um hábito, especialmente por conter altas doses hormonais que alteram temporariamente o funcionamento do útero e ovários.

8. O que é o planejamento familiar?

O planejamento familiar constitui uma série de ações para auxiliar e orientar homens e mulheres quanto à sua saúde reprodutiva e a utilização correta de métodos contraceptivos, como pílula anticoncepcional, DIU e preservativo.

O Grupo NotreDame Intermédica conta com um programa exclusivo de planejamento familiar, que atende principalmente grupos que precisam de mais atenção quando o assunto são métodos anticonceptivos, como pacientes oncológicos ou que tiveram uma gravidez de alto risco, além de pessoas que vão fazer cirurgia bariátrica. Beneficiárias que tem doenças autoimunes ou reumatológicas e precisam de um cuidado maior também podem usufruir do Programa, que funciona nas unidades de Medicina Preventiva – QualiVida. Conheça mais detalhes sobre Planejamento Familiar.

Leia Mais

 

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica