Plano de saúde individual: como funciona?

Artigos Dúvidas gerais -

Se a empresa em que você trabalha não oferece plano de saúde como benefício, a responsabilidade de contratar um ficará por sua conta. Isto requer muitos cuidados, já que o plano de saúde dará acesso a assistência da sua saúde e de seus familiares.

Por isso, em primeiro lugar, é preciso entender quais são suas necessidades e limitações, o número de pessoas que se beneficiarão e o que vale mais a pena em cada caso.  Neste artigo, o GNDI esclarecerá algumas dúvidas sobre planos de saúde.

SUMÁRIO

Plano de saúde individual e familiar

Se o plano de saúde for só para você, a melhor opção é contratar um individual, que é mais flexível e vai atender às suas necessidades de forma mais efetiva. É possível ainda escolher o tipo de plano de acordo com a frequência que você o usa.

Para evitar complicações, as mulheres que pensarem na possibilidade de ter filhos, mesmo que seja no futuro, podem optar por um plano com cobertura obstétrica, levando em consideração que a carência pode ser de até 300 dias para parto.

Já aqueles que viajam muito pelo País podem contratar um plano de saúde com cobertura nacional que, embora haja um acréscimo no valor, traz a possibilidade de atendimento pelo plano em qualquer estado. 

Já o plano familiar, como o nome já diz, pode abranger a cobertura para toda a família. Nele, um membro da família fica responsável pela assinatura do contrato e os outros são considerados dependentes. Este plano tem a vantagem de incluir novos serviços extras, como plano odontológico.

Rede credenciada X rede própria

Outra questão que deve ser levada em conta é em quais hospitais e laboratórios o plano é aceito. Algumas operadoras têm rede própria de atendimento, ou seja, suas próprias equipes e estruturas. Outras preferem focar apenas em seguro e oferecer serviços em redes credenciadas. Neste caso, os centros clínicos, hospitais e médicos não são da rede própria da Seguradora/Operadora, mas possuem convênio com aquele plano e atendem seus beneficiários.

É importante ressaltar que os prestadores credenciados podem atender apenas alguns planos de uma operadora. Então, na hora de escolher a unidade de atendimento, certifique-se de que atenda ao plano que você contratou. O plano de saúde deve observar os procedimentos e eventos em Saúde listados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS.

Cotação do plano de saúde

Os preços variam de operadora para operadora, há possibilidade de saber o valor da mensalidade por faixa etária para tanto consulte um corretor. A coparticipação também é um fator que influencia, já que os planos com valores fixos têm custos maiores do que os que cobram por procedimento.

Mas, de novo, é preciso encontrar o que mais se adequa às suas necessidades. O plano de saúde com coparticipação pode servir bem se você não utilizá-lo com tanta frequência, já que possui um valor menor, mas cobra taxas específicas para cada procedimento. Já se você tem alguma doença crônica e/ou que precise de tratamento, essa opção traria mais custos do que uma com preço fixo, pois você precisará utilizar o plano várias vezes e precisará arcar com custos extras a cada procedimento.

Referências

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com informações de ANS e Bidu. Acesso em 28/08/2019.

Responsável pelo conteúdo:
Luiz Celso Dias Lopes
Diretor Técnico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde