Ginecologista: conheça as atribuições e saiba quando procurar a especialidade

Artigos Dúvidas gerais -

Os hormônios femininos são os principais responsáveis por parte da saúde da mulher. Sintomas como dores, acnes, queda de cabelo, ganho ou perda de peso e saúde mental abalada podem estar relacionadas a doenças ginecológicas. Para diagnósticos mais precisos e tratamentos eficazes, os ginecologistas – também conhecidos como “clínicos da mulher” – devem ser consultados uma vez ao ano ou quando houver qualquer queixa com a saúde.

SUMÁRIO

Clínico geral da mulher

Embora muitos acreditem que ginecologistas atuam apenas na saúde reprodutiva da mulher, a especialidade trata quem tem útero de forma integral e completa, como explica Thatianne Coutheux Trindade, especialista do Grupo NotreDame Intermédica. “O médico ginecologista é como um clínico geral da mulher. Então, deve fazer parte da consulta a verificação das queixas gerais da paciente, como hábito intestinal e urinário, hábitos alimentares, sono e alterações de humor”.

Nesse sentido, os históricos de saúde pessoal e familiar são essenciais para determinar se o profissional precisa prestar mais atenção em alguns fatores, como glicemia e colesterol, ou começar exames preventivos nas mamas mais cedo do que o recomendável para o público geral.

Como funciona a consulta

Durante a consulta, o profissional faz perguntas gerais sobre a saúde e o histórico familiar da paciente. Pode haver a realização de exames clínicos para analisar as mamas e o útero. Alguns ginecologistas também colhem o Papanicolau durante a consulta; outros fazem o pedido para que o exame seja feito em laboratório.

A paciente deve informar caso sinta dores, enxaqueca, problemas renais e gastrointestinais, perda ou ganho de peso, perda de cabelo ou excesso de acne. Esses sintomas podem estar relacionados a desequilíbrios hormonais e podem ser tratados pelo ginecologista. Em casos mais complexos ou que tenham outras causas, o profissional pode encaminhar para outro especialista, promovendo um acompanhamento multidisciplinar.

A consulta com ginecologista deve ser feita uma vez ao ano, assim como os exames preventivos como Papanicolau, rastreamento infeccioso (exame de sangue ou pela secreção para detectar HIV, hepatite C, sífilis, gonorreia, clamídia, entre outras infecções sexualmente transmissíveis) e mamografia em caso de mulheres acima de 45 anos ou que tenham histórico de câncer de mama precoce na família.

Primeira consulta

A primeira consulta com ginecologista deve ser após o primeiro ciclo menstrual ou aos 16 anos. Nela, haverá orientações de medidas de higiene, prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e de como evitar gravidez indesejada.

Planejamento familiar

“O ginecologista acompanha e orienta a mulher quanto à escolha do método contraceptivo. A idade da paciente, desejo ou não de gestações futuras, antecedente de hipertensão, diabetes, problemas no fígado, cirurgia bariátrica e tromboses são aspectos a serem considerados”, explica Thatianne.

Mas, mesmo quem não sofre com doenças graves deve passar em consulta com ginecologista antes de iniciar o uso de anticoncepcionais. “As características do ciclo menstrual e a presença de acne são alguns dos diversos aspectos a serem considerados na escolha do método contraceptivo. Existem opções hormonais, não hormonais, de longa duração, reversíveis e irreversíveis”, conta a ginecologista.

Mulheres que querem ter filhos, mas têm dificuldade para engravidar, também podem se consultar com ginecologista para entender quais são as opções e melhoras nas chances de fertilização. “Em relação à infertilidade e dificuldade de conseguir engravidar, o ginecologista também é o profissional médico que realiza a investigação e o tratamento do casal que busca uma gestação”, explica.

No Grupo NotreDame Intermédica, todas as pacientes com doenças crônicas, gravidez de alto risco, que têm ou tiveram câncer e que estão planejando uma cirurgia bariátrica passam em avaliação com a equipe de Planejamento Familiar para avaliarem os melhores métodos contraceptivos ou de cuidados para a concepção desejada.

Perguntas para fazer durante a consulta

Muitas pessoas se sentem constrangidas durante as consultas. Por isso, é importante escolher um profissional de confiança em que se sinta confortável. Para identificar possíveis doenças ou tratar desconfortos, é importante fazer perguntas e informar tudo de forma correta. Abaixo, algumas dicas do que questionar no momento da consulta:

  • É normal sentir desconforto durante o sexo?
  • Qual o melhor tipo de anticoncepcional para o meu caso?
  • Quando a secreção vaginal quer dizer que tenho uma infecção?
  • Qual o melhor sabonete íntimo?
  • Como faço o autoexame nos seios?
  • Minha menstruação é desregulada. O que pode ser?
  • Após quanto tempo de atraso da menstruação preciso me preocupar com uma possível gravidez?

Ginecologistas na Rede Própria do GNDI

O Grupo NotreDame Intermédica oferece às suas beneficiárias e beneficiárias de outros planos de saúde acesso a profissionais de ginecologia altamente capacitados e habilitados em toda a sua Rede Própria, assim como na Telemedicina (atendimento on-line). Veja onde acessar esse especialista:

Fonte: Grupo NotreDame Intermédica com colaboração da ginecologista, Thatianne Coutheux Trindade, e informações dos sites Oswaldo Cruz e Veja Saúde. – acesso em 23/07/2021

Responsável pelo conteúdo:
Luiz Celso Dias Lopes
Diretor Técnico do Grupo NotreDame Intermédica

Quero cotar plano de saúde