Qual o melhor tratamento para asma?

Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 10% dos brasileiros sofrem de asma, que é uma doença crônica das vias aéreas inferiores. Para ter uma maior qualidade de vida, você precisa manter a doença sob controle. Os tipos de tratamento para asma podem ser divididos em dois: o medicamentoso e o não medicamentoso. Ambos são importantes e devem ser feitos em conjunto.

Tratamento para asma com medicamentos

Os remédios de longa duração reduzem as inflamações nas vias aéreas que levam a novas crises e devem ser tomados diariamente. Os mais comuns são:

Corticosteróides inalatórios – são os mais eficazes anti-inflamatórios para tratar asma crônica sintomática em adultos e crianças.

Corticosteroides sistêmicos – ao contrário dos casos de asma leve, pacientes com asma grave frequentemente necessitam da adição de corticosteroide oral para melhor controle da doença.

Agonistas beta-2 adrenérgicos de longa ação – têm efeito broncodilatador (relaxam os brônquios e abrem as vias áreas) que persiste por até 12 horas.

Em alguns casos, no entanto, as pessoas com asma sofrem de crises agudas e precisam de remédios de ação mais rápida, os chamados medicamentos de alívio. O Ministério da saúde recomenda o uso dos agonistas beta-2 adrenégicos de curta ação, substância importante na reversão de broncoespasmo em crises de asma em adultos e crianças.

É importante conhecer os tipos de tratamento para asma com medicamentos, mas você precisa conversar como médico para saber que medicação é a mais indicada, pois o organismo de cada pessoa pode responder de maneira diferente. Nunca se automedique.

Tratamento para asma com mudanças no estilo de vida

Apesar de haver remédios eficientes para aliviar e tratar a asma, hábitos saudáveis são importantes para evitar o surgimento de novas crises. Os gatilhos que desencadeiam episódios de asma variam de pessoa para pessoa, mas, algumas dicas para manter a saúde do sistema respiratório incluem:

Descontamine a casa - procure remover da decoração elementos que juntem poeira, a exemplo de carpetes. Cortinas devem ser lavadas regularmente.

Controle a umidade - ambientes úmidos são nocivos para asmáticos. Se você mora em uma cidade em que a umidade relativa do ar é muito alta, vale a pena investir em um desumidificador.

Fique longe de fumaça de cigarro - mesmo que você não fume, a fumaça do cigarro de outra pesoa pode piorar os sintomas da asma.

Mantenha uma rotina de exercícios - ter asma não significa que você deva levar uma vida sedentária. Com tratamento adequado, é possível fazer exercícios, o que pode ajudar a aliviar os sintomas da doença.

Além dos tratamentos medicamentosos e das mudanças no estilo de vida, existem ainda tratamentos para asma complementares, como remédios à base de ervas e exercícios de controle da respiração. Ainda não há estudos que comprovem a sua eficácia, mas muitos pacientes relatam melhoras significativas com essas terapias.

De qualquer forma, é importante lembrar que eles não substituem os tratamentos para asma tradicionais. Então, se estiver pensando em utilizá-los, converse antes com seu médico para avaliar se essa é uma escolha segura para o seu caso.

 

Conteúdos relacionados no site da Intermédica

Pneumonia ou bronquite? Sintomas podem confundir
Infecções respiratórias na infância

Referências

http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/asthma/basics/treatment/con-20026992 - acessado em 17/05/2017
http://acaai.org/asthma/asthma-treatment - acessado em 17/05/2017
http://asthma.ca/adults/treatment/ - acessado em 17/05/2017
http://www.aafa.org/page/asthma-treatment.aspx - acessado em 17/05/2017

Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Pires de Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica