Alimentação em dia

Em todas as fases da vida é preciso ter uma alimentação balanceada. Consumir todos os nutrientes é essencial para o bom funcionamento do organismo e manutenção do peso corporal. Confira abaixo as dicas por faixa etária. 

30 aos 45 anos

Menopausa
Nesta fase algumas recomendações são importantes: aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes, além de fibras que promovem a saciedade, auxilia na manutenção do peso. A soja e os seus derivados podem ajudar a normalizar os níveis de estrógeno, que é o hormônio responsável por essas alterações hormonais. Para amenizar os sintomas uma dica importante é o consumo de amora (in natura, chás, cápsulas). 

Aveia
A aveia é um cereal altamente nutritivo, além de ser fonte de carboidrato, vitaminas e minerais. É rica em fibras. O tipo de fibra presente na aveia contribui na diminuição dos níveis de colesterol no sangue, auxilia no trânsito intestinal e controle de glicemia.

 

Dos 45 aos 60 anos

Menopausa
Nesta fase algumas recomendações são importantes: aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes, além de fibras que promovem a saciedade, auxilia na manutenção do peso. A soja e os seus derivados podem ajudar a normalizar os níveis de estrógeno, que é o hormônio responsável por essas alterações hormonais. Para amenizar os sintomas uma dica importante é o consumo de amora (in natura, chás, cápsulas). 


Aveia
A aveia é um cereal altamente nutritivo, além de ser fonte de carboidrato, vitaminas e minerais. É rica em fibras. O tipo de fibra presente na aveia contribui na diminuição dos níveis de colesterol no sangue, auxilia no trânsito intestinal e controle de glicemia.

A partir dos 60 anos

Antioxidantes
Nesta fase, os antioxidantes ganham importância por combaterem os radicais livres que são produzidos pelo organismo provocando danos celulares e acelerando o processo de envelhecimento. Inclua na rotina alimentar cenoura, linhaça, oleaginosas, frutas cítricas, suco de uva integral, tomate, óleo de coco, soja, brócolis, couve-flor, gérmen de trigo e peixes.

Saiba mais

Atividade física, por favor!

Correr, fazer musculação ou praticar yoga. Não importa a modalidade, a atividade física é uma boa aliada para a manutenção da qualidade de vida e a prevenção de doenças.

Saiba mais

A importância do planejamento familiar

Controlar a fertilidade é o primeiro passo para planejar o momento mais adequado para engravidar. Toda mulher em idade fértil tem acesso a anticoncepcionais nas Unidades Básicas de Saúde, mas a escolha da metodologia mais adequada deve ser feita pela paciente juntamente ao seu médico.

Saiba mais

O corpo na gravidez

Controlar a fertilidade é o primeiro passo para planejar o momento mais adequado para engravidar. Toda mulher em idade fértil tem acesso a anticoncepcionais nas Unidades Básicas de Saúde, mas a escolha da metodologia mais adequada deve ser feita pela paciente juntamente ao seu médico.

Sintomas

Alguns sinais e sintomas são comuns na gravidez, contudo, nem todas as mulheres os apresentam, tais como aumento dos seios, enjoos, vômitos, sono e fome intensificados, aumento da frequência urinária, maior sensação de cansaço.


A gestante deverá procurar o médico para iniciar as consultas de pré-natal ao descobrir ou desconfiar que esteja grávida. O objetivo deste acompanhamento de pré-natal é assegurar o desenvolvimento saudável da gestação, permitindo um parto com menores riscos para a mãe e o bebê. 

 

Complicações

Algumas gestantes podem apresentar complicações como diabetes gestacional, doença hipertensiva específica da gestação, sangramentos, entre outras. E, em algumas situações, o bebê pode não se desenvolver de forma adequada. Por isso é de extrema importância o acompanhamento pré-natal, para que ocorra o diagnóstico precoce. Nestes casos, a gestante pode ser encaminhada ao pré-natal de alto risco para controle e prevenção de complicações. 

Cuidados

Devido a alterações hormonais no organismo feminino durante a gravidez, listamos alguns cuidados que a gestante deve tomar para amenizar possíveis distúrbios da gravidez:

Inchaço nos pés
• Faça exercícios regularmente
• Beba muita água
• Evite excesso de sal na alimentação
• Descanse com os pés e as pernas acima do nível do coração
• Evitar deitar de costas
• Controle a alimentação para evitar o ganho excessivo de peso. 


Dores nas costas
• Pratique exercícios de alongamento, hidroginástica, pilates e ioga
• Use colchões firmes
• Massageie as regiões doloridas
• Mantenha a postura correta ao sentar

Manchas no rosto 
• Use filtro solar com fator de proteção (FPS) acima de 30.
• Evite exposição prolongada ao sol.
• Use óculos escuros e chapéu.

Alimentação
• Ingira bastante água – no mínimo, 2 litros por dia.
• Coma ao menos três frutas por dia e não se esqueça das verduras e dos legumes nas refeições.
• Alimente-se seis vezes ao dia dividindo as refeições em pequenas porções e mastigando lentamente.
• Evite ingerir líquidos durante as refeições.
• A proteína e o cálcio são muito necessários nessa fase. Lembre-se de que a carne vermelha é rica em proteína e em ferro. Consuma bastante leite, pois o cálcio é fundamental para a formação do bebê.
• Consuma frutas ricas em vitamina C, como kiwi, laranja, limão, acerola, tangerina e abacaxi, pois essas frutas auxiliam na absorção de ferro.


 

Saiba mais

A menopausa e seus desafios

Cada fase da vida da mulher traz descobertas. No caso da menopausa, o corpo vive um estado de constante mudança, o que a leva a enfrentar diferentes desafios ao longo do tempo.

Fase de transição

O climatério é uma fase de transição até a menopausa (ausência de menstruação por mais de 12 meses), onde os ovários gradativamente deixam de produzir hormônios. Nesta fase a queda dos níveis hormonais pode acarretar inúmeros sintomas, entre eles: 
 
• Fogachos (ou ondas de calor), geralmente acompanhados de rubor facial
• Sudorese
• Palpitações cardíacas
• Vertigens
• Fadiga muscular
• Irregularidades menstruais
• Incontinência urinária
• Ressecamento vaginal
• Dor durante relação sexual e diminuição da libido
• Labilidade emocional
• Distúrbios de ansiedade
• Insônia
• Perda de massa óssea 
• Maior risco de eventos cardiovasculares 

Prevenção

Alimentação saudável, atividade física regular, não fumar, evitar o consumo de álcool e cuidados com a saúde bucal são algumas medidas simples que, incorporadas aos hábitos diários de vida, podem ser úteis para minimizar os sintomas do climatério.

Reposição hormonal

A terapia de reposição hormonal pode ser indicada para alívio dos principais sintomas e melhoria da qualidade de vida. Vale a pena lembrar que a prescrição da reposição hormonal deve ser feita pelo ginecologista, pois, em casos de câncer de mama ou antecedente de trombose, o hormônio é contraindicado.  

Saiba mais

Fique atenta às principais doenças

Síndrome do ovário policístico, HPV, câncer de mama e útero. Quatro doenças, seus sintomas e suas particularidades.

Saiba como essas patologias afetam a saúde da mulher e como a prevenção deve ser uma grande aliada.

Síndrome do ovário policístico

É um distúrbio endócrino caracterizado pela alteração dos níveis hormonais que pode ou não estar associado à presença de microcistos nos ovários. As manifestações podem incluir: ciclo menstrual irregular, presença de cisto nos ovários, aumento dos níveis de testosterona, ganho de peso, acne, queda de cabelo, depressão, piora na resistência insulínica e dificuldade em engravidar. 

O tratamento da síndrome do ovário policístico atua nos sintomas. Consulte regularmente seu ginecologista. Não deixe de fazer os exames ginecológicos e outros que ele possa indicar. 
 

HPV

O HPV (Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta pele ou mucosas (oral, genital ou anal), tanto de homens quanto de mulheres, provocando verrugas na região genital, no ânus e até câncer, a depender do tipo do vírus. 


A infecção pelo HPV é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), podendo ser assintomática na maioria das pessoas. Em alguns casos o HPV pode ficar latente de meses a anos, sem manifestar sinais ou apresentar manifestações não visíveis a olho nu.


A diminuição da resistência do organismo pode desencadear a multiplicação do HPV e, consequentemente, provocar o aparecimento de lesões. A maioria das infecções em mulheres tem resolução espontânea, pelo próprio organismo, em um período aproximado de até 24 meses.


Podem acometer vulva, vagina, colo do útero, região perianal, ânus, pênis (geralmente na glande), bolsa escrotal e/ou região pubiana. Menos frequentemente podem estar presentes em áreas extragenitais, como conjuntivas, mucosa nasal, oral e laríngea.


A medida mais eficaz para prevenção contra a infeção é a vacina. Mas, ressalta-se que a vacina não é um tratamento, não sendo eficaz contra infecções ou lesões por HPV já existentes. A vacina é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é indicada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

Câncer de colo de útero

O câncer do colo do útero geralmente está associado à infecção por HPV.  É uma doença de desenvolvimento lento que pode não apresentar sintomas em fase inicial, podendo ser diagnosticado através do exame de Papanicolau e/ou colposcopia. Nos casos mais avançados pode evoluir para sangramento vaginal intermitente (que vai e volta) ou, após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada a queixas urinárias ou intestinais.


A prevenção primária do câncer do colo do útero está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo HPV. A vacinação contra HPV antes do início da vida sexual deve ser incentivada, assim como o uso de preservativo desde a primeira relação sexual. 


O exame de Papanicolau é a principal estratégia preventiva para detecção de lesões precursoras ao câncer de colo de útero. Sua realização periódica permite reduzir a ocorrência e a mortalidade pela doença. Toda mulher com vida sexual ativa deve realizar o exame. 

Câncer de mama

É o tipo de doença mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Os fatores predisponentes ao câncer de mama são:

- Idade - cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos
- Fatores hormonais, genéticos e hereditários
- Uso de contraceptivos hormonais
- Terapia de reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos
- Primeira menstruação antes dos 12 anos
- Primeira gestação após os 30 anos
- Menopausa após os 55 anos
- Não ter tido filhos
- Obesidade e sobrepeso
- Sedentarismo
- Excesso de bebida alcoólica 
- Exposição frequente a radiações.

O autoexame das mamas é importante, porém a realização periódica da mamografia é o método mais importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama, pois detecta lesões ainda não palpáveis. Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores as chances de cura da doença.

Lembre-se: cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como: prática de atividade física, alimentação saudável, manutenção do peso corporal, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentação, evitar uso de hormônios sintéticos como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.

 

Saiba mais

Como podemos ajudar?

Somos um plano de saúde com diferencial em Medicina Preventiva. Isso quer dizer que a assistência médica é centrada no cuidado e bem-estar de cada paciente. Se você, mulher, tem interesse em fazer parte dos programas do Grupo NotreDame Intermédica que promovem saúde e previnem doenças, saiba que oferecemos atendimento médico de forma integrada.

Quer saber mais sobre nossas soluções em medicina preventiva? Acesse www.gndi.com.br/saude/nossos-programas e conheça mais detalhes sobre o Programa de Gestação Segura e o Preventiva Premiada.