Regional São Paulo: os desafios do maior mercado do país

O custo mais acessível do mercado, aliado a produtos e serviços de qualidade, garantem o crescimento

A Regional São Paulo é o tema da segunda matéria da série sobre as Regionais do Grupo NotreDame Intermédica. A exemplo das demais Regionais, a da capital também está inserida no modelo regionalizado de gestão de negócios adotado pelo GNDI com foco em aumentar a eficiência local da operação, trazendo mais qualidade para o relacionamento com beneficiários, Clientes e corretores. Vamos ver como isso é colocado em prática nessa Regional, que tem sob sua responsabilidade a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP).

No total, a RMSP é composta por 39 municípios, lidera o ranking de riqueza do País e concentra grande parcela do capital privado controlado por grandes complexos comerciais, financeiros e industriais. Localizada no 11º e 12o andares do edifício Sede do Grupo NotreDame Intermédica, na avenida Paulista, a Regional São Paulo é responsável por esse mercado, excluindo-se os municípios de Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, que fazem parte da Regional ABC (tema abordado na edição de setembro).

Vendas no Segmento PME

Diretor da Regional São Paulo e responsável pelo segmento PME, que oferece planos de saúde e odontológicos para empresas com, no mínimo duas e, no máximo, 100 vidas, José Luiz Estevam tem em sua equipe três gerentes. Dois deles são dedicados ao relacionamento com os corretores PME de maior produção na Operadora, as chamadas Plataformas, e um ao corretor individual. “É muito importante investir no parceiro comercial para que ele conheça bem os produtos da NotreDame Intermédica e esteja capacitado a prestar o melhor atendimento ao Cliente”, afirma.

De acordo com José Luiz, é alinhada a essa estratégia que está sendo estruturado mais um canal de vendas dentro da Diretoria da Regional São Paulo voltada ao segmento PME denominada Assessoria. “Contratamos uma empresa especializada para prospectar corretores de outros ramos e que estejam interessados em investir na comercialização de nossos planos de saúde e odontológicos”, explica. Para isso, a Assessoria, por meio de contrato entre ela e o corretor, proporcionará treinamento, capacitação e dará suporte a esse profissional em todo o processo de vendas. “Nossa perspectiva é aumentar nossa carteira de corretores e de Clientes, garantindo a qualidade na venda de nossos produtos”, conclui José Luiz.

O custo mais acessível

No mercado corporativo é cada vez mais comum as empresas contratarem o plano de saúde por meio do sistema de coparticipação, em que, além da mensalidade do plano, há a cobrança de um percentual do valor para exames, consultas e outros procedimentos, tudo previamente estipulado em contrato. “Com isso, o custo do plano fica menor e, agora, para que o Cliente possa realmente avaliar se essa opção é a melhor para ele, inserimos um valor fixo limite mensal na coparticipação de nossos planos de R$ 50,00, independentemente da utilização”, informa José Luiz.

Segmento PJ: opções sob medida

“A relação custo/benefício do plano de saúde é um aspecto cada vez mais importante na decisão de escolha da Operadora para as empresas de todos os portes”, afirma Rafael Ortiz, gerente sênior da Regional São Paulo e responsável pelo segmento PJ, que reúne os contratos com produtos a partir de 100 vidas. Na equipe, para atender as cerca de 2 mil corretoras que realizam aproximadamente 1.500 cotações/mês de produtos de saúde e odontológicos, estão 15 gerentes – 13 dedicados a planos de saúde, um a planos odontológicos e um a medicina ocupacional.

Rafael lembra que nos últimos dois anos, em virtude do cenário econômico do País, as vendas no segmento saúde encolheram para a maioria dos players desse mercado. “O setor perdeu cerca de 3 milhões de vidas, a maioria na região Sudeste”, informa. A NotreDame Intermédica, no entanto, foi na contramão desse cenário, ocupando o espaço deixado pela concorrência, apresentando crescimento.

Segundo Rafael, o segredo está em oferecer a melhor gestão do benefício saúde para os Clientes e, nesse contexto, o contínuo investimento no crescimento da Rede Própria do GNDI tem sido um fator muito importante. Atualmente, na Região Metropolitana de São Paulo, a Rede Própria do Grupo NotreDame Intermédica é composta por 11 Hospitais e 42 Centros Clínicos. “Temos opções para todas as necessidades de uma grande empresa, desde o plano de custo muito competitivo, em que o beneficiário conta com nossa Rede Própria, até planos mais abrangentes, que podem atender os altos executivos”, diz.

Além disso, no segmento PJ, fomentar a parceria com o corretor especializado, que atua como consultor do Cliente, é outro ponto importante para o GNDI. “O suporte a nosso parceiro comercial é robusto e conta com ações presenciais e plataforma digital no Portal do Corretor, em que ele pode fazer simulações, enviar propostas e acompanhar todo o processo”, diz.

Um Pós-Vendas de qualidade

Depois de realizada a venda, o Cliente e o corretor dos segmentos PME e PJ continuam a contar com o suporte do Grupo NotreDame Intermédica. Diretora executiva de Pós-Vendas, Fátima Borges diz que sua área “funciona como representante do Cliente e do corretor na Operadora”. Conta com uma equipe de 180 pessoas, distribuída em várias células de atendimento.

A porta de entrada é a Implantação, que cuida da integração desse novo Cliente na operadora, centralizando o atendimento para associados em tratamento, gestantes, o cadastro do contrato, a entrega das carteirinhas de identificação dos beneficiários, palestras e plantões nos primeiros 30 dias. “Uma implantação bem feita é o melhor cartão de visitas que podemos ter para o Cliente”, ressalta Fátima Borges.

Após esse período, as empresas com mais de 250 vidas seguem para a célula de Berçário, onde ficam durante 60 dias para ajustes operacionais administrativos. E, passada essa etapa, o Cliente é recebido pela célula de Atendimento a Clientes, a qual é composta por um diretor, um gerente e um executivo de contas, que estarão presentes cuidando do Cliente durante todo o período de vigência do contrato para atender todas as demandas de forma personalizada, presencial e remotamente, sempre observando suas necessidades. A intenção é fazer uma gestão efetiva do contrato para manter o equilíbrio financeiro e, se necessário, oferecer opções de adequação.

 

Acesse nossas Redes Sociais:

Mais notícias