Equipe de Medicina Preventiva realiza evento sobre Outubro Rosa

 

Motivação e hábitos saudáveis são ótimos remédios na luta contra o câncer de mama. Este foi o tema abordado em encontro promovido pela equipe de Medicina Preventiva, na Unidade do QualiVida, localizada na região central de São Paulo. Na ocasião, beneficiários e convidados participaram de palestras e debates com especialistas de diferentes áreas. 

De acordo com o médico mastologista, dr. Carlos Ruiz, existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico, por isso, a importância de se discutir o tema e também fazer o diagnóstico precoce. 

Segundo ele, existe vida após o câncer de mama e com qualidade. “Descobrir o tumor quando ele ainda é pequeno possibilita a cura em 90% dos casos e depois do tratamento, a mulher segue uma vida normal”, destacou o especialista durante evento nesta quinta-feira (24), voltado a beneficiários do GNDI. 

Uma equipe multidisciplinar do Grupo fez uma série de ações afim de discutir experiências e acima de tudo trocar conhecimento. Na oportunidade, a nutricionista Sabrina Caldas debateu a necessidade de manter uma qualidade de vida adequada com uma rotina de exercícios físicos diários. “Hábitos saudáveis e uma alimentação balanceada podem ajudar na prevenção do câncer de mama”, alertou. 

"Uma em cada doze mulheres podem ter a doença e, em 2018, foram registrados quase 60 mil novos casos de câncer de mama no Brasil."

Outro tema da discussão foi a importância de se sentir motivada durante o tratamento porque isso ajuda na recuperação. “O medo das doenças, quando enfrentado com racionalidade e motivação, podem levar a uma recuperação rápida e satisfatória. O uso de medicamentos ajuda, e são imprescindíveis para o tratamento, porém ter ao lado pessoas que te inspiram ou te ajudem a seguir são pontos fundamentais no sucesso do mesmo”, pontuou o médico coordenador da Oncologia do GNDI, Francisco Miguel Corrêa.

Para a psicóloga do setor Gisele Mendes de Carvalho, mudanças de comportamento e de pensamentos podem fazer uma grande diferença para aqueles que lidam com uma doença como um câncer.

“Desde a descoberta da doença, nós do Grupo NotreDame Intermédica, fazemos o acompanhamento com o paciente com uma equipe multidisciplinar. O nosso papel, além de mostrar que a doença tem cura, é ajudar também na valorização do autoconhecimento e deixar claro para o paciente que ele é bem maior que o câncer, motivando-os a viver a vida”, finalizou.

Além das palestras, quem participou do evento teve a oportunidade também de fazer uma aula de relaxamento com um fisioterapeuta e uma equipe de beleza fez maquiagem nas pacientes. 

Maria de Fátima Souza, de 60 anos, descobriu o câncer no ano passado e já fez todo o tratamento. Ela participou das atividades para compartilhar sua história com outras mulheres. “Quando a gente expõe nosso relato com outras pessoas que também passam ou passaram pela doença, a gente se sente mais forte. Hoje eu saio daqui melhor do que eu entrei”, concluiu.  

Panorama
De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. A doença também pode acometer homens, porém é mais raro representando apenas 1% do total de casos.

Nas mulheres, o número alto ainda assusta: uma em cada doze mulheres podem ter a doença e, em 2018, foram registrados quase 60 mil novos casos de câncer de mama no Brasil.

Compartilhando e incentivando hábitos saudáveis 
O Grupo NotreDame Intermédica mantém em seu canal no YouTube diversos vídeos com dicas e orientações valiosas que visam melhorar a qualidade de vida e auxiliar na prevenção de riscos e doenças da população em geral, além de campanhas e vídeos institucionais. O canal pode ser acessado por aqui

 

Acesse nossas Redes Sociais: