Câncer colorretal, como prevenir e identificar?


O câncer colorretal é um dos mais frequentes entre a população brasileira e afeta 34 mil pessoas no País, por ano. Apesar disto, muitas pessoas desconhecem as causas e os sintomas. Tire, aqui, suas dúvidas sobre a doença.

1. Como se forma o câncer colorretal?

O câncer colorretal, ou câncer do intestino, em sua grande maioria, desenvolve-se a partir de pólipos intestinais. Os pólipos são lesões benignas que, quando associadas a hábitos pouco saudáveis e a uma predisposição genética, podem se tornar um câncer ao longo do tempo.

Leia mais

2. Quais as causas do câncer colorretal?

As células cancerígenas são formadas a partir de mutações genéticas. Essas mutações podem ser herdadas dos pais ou adquiridas ao longo da vida. Hábitos alimentares, como o consumo de carnes (qualquer tipo, incluindo as de frango e de peixe) preparadas em chapas, em churrasqueiras ou fritas, aumentam a chance de desenvolver a doença. Outros fatores são a ingestão de bebidas alcoólicas, tabagismo, sobrepeso ou obesidade, sedentarismo e uma dieta pobre em legumes, verduras, frutas e cereais integrais.

Leia mais

3. Como identificar os sintomas do câncer colorretal?

Os principais sintomas são:
 
  • Constipação ou diarreia sem associação com alimento ingerido;
  • Anemia;
  • Fraqueza;
  • Emagrecimento e cólicas abdominais;
  • Sangramento pelo reto;
  • Sensação de evacuação incompleta.
 
Se você tiver um ou mais destes sintomas, isso não significa que você, necessariamente, tem câncer colorretal. Mas sim que você deve procurar um médico o mais rápido possível para ele fazer o diagnóstico e, se necessário, prescreva o melhor tratamento para o seu caso.

Leia mais

4. Como é feito o diagnóstico?

Alguns exames são bastante comuns, como toque retal, pesquisa de sangue oculto nas fezes e colonoscopia. A colonoscopia permite a visualização completa do ânus e do reto pela introdução de um aparelho de fibra ótica pelo ânus. Apesar do medo que muitas pessoas têm deste exame, a colonoscopia é feita com o paciente sedado, portanto, é indolor. Outros exames são a retossigmoidoscopia, o enema opaco com duplo contraste e a colonoscopia virtual.

Leia mais

5. É possível prevenir a doença?

Sim. Hábitos saudáveis são importantes para evitar o câncer colorretal. O Ministério da Saúde recomenda algumas medidas, tais como:
 
  • Evitar cigarros e bebidas alcoólicas;
  • Manter uma rotina de exercícios físicos;
  • Beber pelo menos dois litros de água por dia.
 
Além disso, é importante evitar ou reduzir o consumo de carnes vermelhas, principalmente na forma de frituras e churrascos, e evitar carnes processadas como presunto, mortadela, bacon, salsichas e outros embutidos e defumados. Outra maneira de evitar a doença é a detecção precoce dos pólipos e sua remoção antes de se tornarem malignos.

Leia mais

6. Existem pessoas com predisposição para o câncer colorretal?

Sim. Além da predisposição genética, alguns fatores elevam o risco da doença. Homens e mulheres acima de 50 anos têm mais chances de desenvolver câncer colorretal, assim como pessoas com histórico da doença na família. Pacientes com retocolite ulcerativa ou doença de Crohn também têm o risco aumentado.

Leia mais