Infecções respiratórias agudas na infância (IRA)

As infecções respiratórias agudas na infância (IRAs) são muito comuns e representam de 30 a 40% dos motivos de consulta e hospitalização. É importante os pais conhecerem os sinais dessas infecções para saber quando procurar um médico.

IRAs que atingem as vias áreas superiores

Rinofaringite aguda (resfriado)
 - é causado geralmente por um rinovírus e tem como sinais coceira no nariz, irritações na garganta, espirros e secreções nasais. Pode causar febre baixa nas crianças.

Amigdalite - doença inflamatória causada por vírus ou bactéria que atinge as regiões das amígdalas e garganta. Os sinais são inchaço, dor e vermelhidão dos gânglios do pescoço, febre e mau hálito.

Otite média - é uma infecção no ouvido comum em crianças de até seis anos, que pode causar febre, dor intensa, sinais de desequilíbrio, náuseas e vômitos e diminuição da audição.

Sinusite - é uma complicação viral ou bacteriana que tem como sintomas secreção nasal, tosse, obstrução nasal, dor de cabeça e febre.

IRAs que atingem as vias áreas inferiores

Bronquiolite - infecção dos bronquíolos frequente em crianças menores de dois anos. É causada por diversos tipos de vírus. O mais comum é o vírus sincicial respiratório (VSR). Os sinais são parecidos com os de resfriado, tais como nariz escorrendo, tosse leve e febre.

Pneumonia - infecção dos pulmões que pode ser causa por vírus e bactérias. Os sintomas mais comuns nas crianças são tosse persistente, febre (até 38,5ºC) e perda de apetite.

Epiglotite - infecção bacteriana ou viral que causa inchaço na epiglote (cartilagem que orienta o fluxo de ar e de alimentos na garganta), o que pode ocasionar problemas respiratórios, até a obstrução das vias aéreas. Os sinais são dor de garganta, febre, coloração azulada e um som característico quando a criança respira.

Laringite - é uma infecção viral que tem como principal sintoma a tosse seca.

Se o seu filho estiver com um ou mais sintomas que podem indicar alguma infecção respiratória, isso não significa que ele esteja com o problema. Mas, é importante que você procure o médico o quanto antes, pois só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento.

Lembre-se: nunca dê remédios por conta própria para o seu filho. O tratamento feito em outra criança com condição de saúde aparentemente parecida não é necessariamente o melhor para ele.

Referências

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/359240/mod_resource/content/0/IRAS%202015.pdf - acessado em 28/03/2017;
http://www.hospitalinfantilsabara.org.br/saude-da-crianca/informacoes-sobre-doencas/abc-saude-infantil/B/bronquiolite/ - acessado em 28/03/2017;
http://www.hospitalinfantilsabara.org.br/saude-da-crianca/informacoes-sobre-doencas/abc-saude-infantil/p/pneumonias/ - acessado em 28/03/2017;
http://www.stlouischildrens.org/diseases-conditions/epiglottitis - acessado em 28/03/2017;
http://brasil.babycenter.com/a3400374/laringite-em-crian%C3%A7as - acessado em 28/03/2017;
http://otorrinopediatrica.org.br/sinusites.asp  - acessado em 28/03/2017;
http://otorrinopediatrica.org.br/otites.asp  - acessado em 28/03/2017;
http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2074-gripe-e-resfriado - acessado em 28/03/2017;
http://www.blog.saude.gov.br/index.php/35337-especial-otorrino-amigdalites  - acessado em 28/03/2017; 



Responsável pelo Conteúdo:
Dr. Rodolfo Albuquerque
CRM: 40.137
Diretor Médico do Grupo NotreDame Intermédica