Parto humanizado: o que é e quem pode fazer?

1. O que é parto humanizado?

O parto humanizado é aquele na qual a atenção e o cuidado com a parturiente e o recém-nascido são tão importantes quanto os procedimentos que serão realizados. A gestante é estimulada a participar das decisões referentes ao seu parto e cuidados com o recém-nascido. O plano de parto é um documento que pode ser utilizado para registrar as preferências da mãe, em relação à posição do parto, uso de ocitocina, analgesia, rotura da bolsa e amamentação exclusiva, por exemplo.

 

Leia mais

2. Nenhuma anestesia é utilizada no parto humanizado?

São oferecidos outros métodos para alivio da dor como, por exemplo, massagem, banho, bola e exercícios de alongamento. Nenhuma anestesia deverá ser aplicada sem necessidade e sem a vontade da paciente, no entanto, se a gestante desejar, poderá receber medicações para alívio da dor.

 

Leia mais

3. Quem pode acompanhar o parto humanizado?

A presença de profissionais especializados e de uma equipe multidisciplinar é muito importante nesse processo. Além disso, a presença da família é fundamental para bem-estar da mãe. A gestante pode ter um acompanhante de sua escolha e uma doula ao seu lado durante todo o trabalho de parto e parto.

 

Leia mais

4. Quem é a doula?

A doula é uma profissional sem experiência técnica na área da saúde, que ajuda a mãe durante o parto, oferecendo conforto e suporte emocional durante o trabalho de parto, parto e pós-parto, auxiliando também nos primeiros cuidados com o bebê.

 

Leia mais

5. Como os profissionais de saúde agem nesse processo?

Durante o parto humanizado, os médicos e enfermeiros devem agir de forma ética e solidária, informando a mãe sobre seu estado de saúde, evitando intervenções desnecessárias, explicando os procedimentos a serem realizados - bem como os riscos e benefícios deles - e respeitando a opinião dela sobre esses assuntos. Eles também devem dar apoio aos familiares e monitorar os sinais vitais do bebê.

 

Leia mais

6. Porque escolher o parto normal?

O parto normal pode ser indicado para todas as gestantes, sejam elas de baixo ou alto risco, desde que não apresentem contraindicações. O parto é um processo natural, que ocorre sem intervenções, podendo demorar várias horas desde as primeiras contrações até o nascimento do bebê. O principal incômodo é a dor, que pode ser manejada com e sem medicações. Além disso, é importante lembrar que o desconforto passa logo após o nascimento, permitindo uma recuperação mais rápida do que o parto cesariano.

 

Leia mais

7. Quando a cesariana é indicada?

São indicações de parto cesárea:

  • Deslocamento prematuro da placenta;
  • Prolapso do cordão;
  • Gestantes com 2 ou mais cesarianas prévias;
  • Bebê está sentado ou "deitado";
  • Gestante portadora de HIV.


Como toda cirurgia, a cesárea não é um procedimento sem risco, por este motivo, não deve ser realizada de rotina. Há riscos de infecção no local do corte, infecção no útero, perda de sangue, lesão nos órgãos, complicações na cicatrização e tempo de recuperação prolongado, entre outros.

 

Leia mais

8. Como é o contato da mãe com o bebê depois do parto humanizado?

Logo depois do parto, o bebê deve ser colocado no colo da mãe e permanecer ali durante a primeira hora de vida para estimular o vínculo entre os dois e também a amamentação. Os procedimentos médicos de rotina devem ser realizados somente após esse contato (a não ser que a mãe seja portadora de HIV ou no caso de indicação médica).

 

Leia mais

9. Quem pode fazer o parto humanizado?

Uma vez que a humanização tem como objetivo estimular e respeitar as escolhas da paciente, todas podem ter um parto humanizado, seja parto normal ou parto cesárea.

 

Leia mais